Telecomunicações CTT: 16% dos trabalhadores aderiram à greve

CTT: 16% dos trabalhadores aderiram à greve

Os CTT garantem que a greve agendada para esta sexta-feira não teve impacto. E apesar da “fraca adesão”, se sentirem qualquer efeito admitem distribuir correio no sábado.
CTT: 16% dos trabalhadores aderiram à greve
Sara Ribeiro 23 de fevereiro de 2018 às 12:25

A greve dos trabalhadores dos CTT teve uma adesão de 16% no conjunto de empresas do grupo. Os números foram divulgados pelos Correios em comunicado enviado às redacções.

"A distribuição postal continua, portanto, a ser prestada durante o dia de hoje, não tendo esta paralisação cumprido o seu objectivo de interromper o serviço aos clientes", sublinham os CTT.

Apesar desta "esta fraca adesão", segundo a empresa, admitem "realizar uma distribuição extraordinária de correio amanhã, sábado, 24 de Fevereiro", caso detectem "algum constrangimento local". Porém, "a necessidade da mesma não está, todavia, para já, confirmada", esclarecem.

Os CTT atribuem "a fraca adesão a esta greve ao facto de a mesma não estar relacionada com as relações laborais, mas com uma motivação de natureza ideológica e, portanto, exterior ao funcionamento regular da empresa", defende a empresa liderada por Francisco de Lacerda.

Os trabalhadores dos Correios iniciaram esta sexta- feira uma greve geral, a segunda em dois meses depois da paralisação em Dezembro. Em causa está o plano de reestruturação da empresa, apresentado em Dezembro, que prevê a redução de cerca de 800 trabalhadores na área das operações em três anos e o encerramento de algumas lojas.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 23.02.2018

Como sempre houve desde o PREC, há gente apostada em destruir o país iludindo o povo com mensagens em que tentam convencer que é para seu bem. Depois das empresas falirem e os trabalhadores no desemprego, dizem que os responsáveis da situação são os patrões. Isto garante-lhes a sua existência.

Portugues 23.02.2018

A cigarra do BE virá palrar como de costume, para dizer patetices, como nunca trabalhou não sabe que as empresas são feitas para dar lucro, e que para produzirem precisam de gente, os 16% que fizeram greve são os sindicalistas e gente do BE que agora tem que trabalhar, em vez de palrar.

Ciifrão 23.02.2018

Os CTT agora são notícia por tudo e por nada, sobretudo se o assunto for político. A greve provavelmente mais não era do que maneira de os infiltrados políticos ganharem poder.

Saber mais e Alertas
pub