Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

CTT vão aumentar em 2% todos os trabalhadores

Os CTT acordaram com os sindicatos aumentar em 2% os mais de 12 mil trabalhadores da empresa. Desde 2009 que os Correios não alteravam as remunerações base dos funcionários.

Bloomberg
Sara Ribeiro sararibeiro@negocios.pt 09 de Fevereiro de 2015 às 18:28
  • Partilhar artigo
  • 8
  • ...

Os CTT e os 11 sindicatos representados na empresa assinaram esta segunda-feira, 9 de Fevereiro, um novo Acordo de Empresa (AE) válido para os próximos dois anos. 

 

O novo acordo prevê um aumento de 2% nas remunerações base dos 12.383 trabalhadores do grupo, o que já não acontecia desde 2009.

 

O corte de alguns subsídios específicos e a harmonização do horário de trabalho são outras das novas alíneas do AE assinado esta segunda-feira, acrescentam os CTT em comunicado, sem avançar com mais detalhes.

 

De forma semelhante, foi assinado um novo acordo de Regulamento das Obras Sociais (ROS) dos CTT, "que mantém um nível de protecção elevado, mas equilibrado, racionalizando a utilização dos benefícios. Foi incrementada a comparticipação dos beneficiários no sistema, através do aumento das quotas mensais e dos co-pagamentos a cargo, mantendo-se o carácter abrangente do sistema e reforçando-se algumas medidas de apoio social".

 

Desta forma, as alterações em matéria de plano de saúde, subsídios e tempo de trabalho, promoverão uma redução anual dos custos da empresa, enquanto os aumentos salariais terão um impacto de sentido inverso. 

 

Para Francisco de Lacerda, presidente executivo dos CTT, "os novos acordos hoje assinados são uma demonstração da razoabilidade do diálogo social dentro da empresa e permitirão reforçar a flexibilidade e a polivalência dos seus activos humanos na resposta a um mercado cada vez mais exigente, ao mesmo tempo que privilegiam os mecanismos de reconhecimento do mérito e de protecção social dos colaboradores e das suas famílias".

 

Ver comentários
Saber mais CTT Acordo de Empresa Regulamento das Obras Sociais Francisco de Lacerda telecomunicações
Outras Notícias