Start-ups Dombrovskis: “Valorizações das criptomoedas mostram todos os sinais de uma bolha”

Dombrovskis: “Valorizações das criptomoedas mostram todos os sinais de uma bolha”

O vice-presidente da Comissão Europeia admitiu que “as valorizações das criptomoedas mostram todos os sinais de uma bolha de activos e os investidores poderão, potencialmente, sofrer perdas substanciais”.
Dombrovskis: “Valorizações das criptomoedas mostram todos os sinais de uma bolha”
Ana Laranjeiro 27 de fevereiro de 2018 às 13:37

Valdis Dombrovskis admitiu esta terça-feira, 27 de Fevereiro, que poderá estar a formar-se uma bolha nas criptomoedas. Num evento sobre Fintech, que se realizou em Bruxelas, o vice-presidente da Comissão Europeia assumiu que a instituição vai apresentar um plano de acção para a área das Fintech na próxima semana.

Durante a sua intervenção, o responsável assumiu que a Comissão tem estado a acompanhar a tecnologia blockchain (que está na base da bitcoin), bem como outras tecnologias, que "têm muitos benefícios potenciais para os consumidores e para os fornecedores".

"Mas há também riscos importantes relacionados com a aplicação da blockchain com os quais nos confrontamos hoje. Por exemplo, a valorização das criptomoedas mostram todos os sinais de uma bolha de activos e os investidores podem, potencialmente, sofrer perdas substanciais. Incidentes recentes de pirataria também expuseram fragilidades ao nível de segurança. No passado mês de Dezembro pedi a três Autoridades de Supervisão Europeias para renovarem os seus alertas ao público, e assim o fizeram há duas semanas", disse o vice-presidente da Comissão Europeia, de acordo com o discurso publicado na página da Comissão.

Valdis Dombrovskis disse ainda que "para determinar política financeira, precisamos de ter um entendimento claro e actual desta tecnologia" e por isso esteve reunido com autoridades dos Estados-membros, empresários e académicos. E as conclusões que surgiram deste encontro centram-se na necessidade da Europa "aproveitar oportunidades e estar preparada para enfrentar os riscos". As Initial Coin Offerings (oferta inicial de moedas, ou ICO na sigla em inglês), disse o responsável, permitem a "start-ups angariarem capital numa questão de dias a uma escala mundial".

"Mas representam também muitos desafios e que poderão não ser abrangidos pela regulação actual. Temos de acompanhar de perto como é que as ICO e outras actividades evoluem".

Dombrovskis conclui dizendo que a Europa "representa apenas uma pequena percentagem dos desenvolvimentos mundiais de blockchain e da negociação das criptomoedas em particular". "No que diz respeito à blockchain, as fronteiras são quase irrelevantes, por isso precisamos de trabalhar em conjunto com os nossos parceiros internacionais, incluindo no G20", acrescentou.

Uma ideia que, de resto, não é totalmente nova. Em meados de Fevereiro, o Bundesbank e os ministros das Finanças dos países do G20 propuseram à presidência argentina que a regulação das criptomoedas esteja na agenda da próxima cimeira deste grupo.




pub