Comércio Dona do Minipreço fecha 2017 com receitas de 853 milhões em Portugal

Dona do Minipreço fecha 2017 com receitas de 853 milhões em Portugal

A retalhista terminou 2017 com 630 lojas em Portugal. A nível global, as receitas cresceram 1,5% mas o fecho das operações na China penalizou o lucro do grupo espanhol.
Dona do Minipreço fecha 2017 com receitas de 853 milhões em Portugal
Bloomberg
Sara Ribeiro 22 de fevereiro de 2018 às 10:12

O Grupo Dia, que detém a rede de supermercados Minipreço, fechou 2017 com receitas de 853 milhões de euros em Portugal, um valor que representa uma ligeira subida de 0,6% face ao ano anterior.

 

De acordo com os dados enviados ao regulador espanhol (CNMV), no final do ano passado a retalhista tinha 630 lojas em Portugal, das quais 333 próprias e 297 em franchising. Números que comparam com os 367 espaços próprios que detinha em 2016 e os 256 em regime de franquia.

 

No total, incluindo todas as operações do grupo espanhol, os proveitos cresceram 1,5% para 10,3 mil milhões de euros.

 

Já o resultado líquido ajustado caiu 19,2% para 217 milhões de euros, enquanto o lucro líquido atribuído recuou 38% para 109 milhões de euros, devido ao encerramento das operações na China, segundo a empresa.

 

Em Espanha as operações também decresceram, com as receitas a caírem 3,8% para 5,7 mil milhões de euros, uma performance justificada com o encerramento de lojas neste mercado. Ao passo que na Argentina e no Brasil cresceram 21,5% e 1,4% para 1,7 mil milhões e 1,9 mil milhões de euros, respectivamente.

 

No global, no final de 2017, o Grupo Dia somava 7.399 lojas – 3.603 próprias e 3.785 franchisadas -, o que representa uma ligeira queda face às 7.420 registadas no ano anterior.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 22.02.2018

Não percebo como as pessoas ainda gastam dinheiro no Dia os preços não são competitivos e os produtos estão no folheto, mas nas prateleiras está quieto o mau , olhem para os preços do CONTINENTE /PINGO DOCE e boas compras!

Saber mais e Alertas
pub