Banca & Finanças Dulce Mota assume liderança do Montepio com foco na transformação digital

Dulce Mota assume liderança do Montepio com foco na transformação digital

Na sua primeira intervenção enquanto CEO do Montepio, Dulce Mota diz ter aceitado o desafio de liderar o banco para permitir que este "passe a ser um player que disponibilize aquilo que são as soluções que o mundo de hoje exige". 
Dulce Mota assume liderança do Montepio com foco na transformação digital
David Martins / Record
Rita Atalaia 13 de fevereiro de 2019 às 12:37

Dulce Mota quer colocar o banco que agora lidera no rumo da transformação digital. E permitir que a instituição financeira, um banco com mais de 170 anos, acompanhe esta mudança do setor financeiro nacional, que arrancou mais tarde em comparação com os restantes países devido à crise financeira.

 

"Aceitei o enorme desafio [de liderar o Montepio] para permitir que o banco acompanhe toda esta modernidade, de braço dado com as fintech", notou Dulce Mota na Conferência Ibérica sobre Fintech, organizada pela Sociedade Antas da Cunha ECIJA, esta quarta-feira, naquela que foi a primeira intervenção da responsável enquanto CEO do Montepio.

 

A presidente executiva do banco diz querer que a instituição financeira "passe a ser um player que, junto da sua base de clientes, ofereça e disponibilize aquilo que são as soluções que o mundo de hoje exige". 

 

A CEO do Montepio recorda que a "banca mudou" e que os bancos portugueses deram início a esta mudança e aposta tecnológica mais tarde, uma vez que tiveram de lidar com uma crise financeira.

 

"A crise levou a banca a definir um conjunto de prioridades e a ter um foco que se desviou um pouco de tudo o que se passava no mundo", notou Dulce Mota, realçando que o setor nacional teve de "olhar para dentro e resolver os problemas", incluindo reduzir custos de forma significativa. Esforços que continuam ainda hoje.

 

Esta foi a primeira intervenção de Dulce Mota enquanto presidente executiva do Montepio. Isto depois de o banco ter informado o supervisor de que João Ermida vai ocupar um cargo de administrador não-executivo, anulando, assim, aquilo que foi feito para que assumisse o papel de "chairman" da instituição financeira. Esta função passou agora para Carlos Tavares. 

 

Com esta passagem de Carlos Tavares a "chairman", Dulce Mota, até agora vice-presidente, passou assim naturalmente a CEO do banco detido pela Mutualista. 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI