Energia EDP vende 384 milhões de euros do défice tarifário

EDP vende 384 milhões de euros do défice tarifário

A eléctrica liderada por António Mexia acordou vender mais uma parcela do défice tarifário. Em causa estão 384 milhões de euros.
EDP vende 384 milhões de euros do défice tarifário
Bruno Simão
Negócios 07 de dezembro de 2018 às 22:20

A EDP Serviço Universal vendeu uma parcela do défice tarifário de 2017 e 2018, que ascende a 384 milhões de euros, revela a eléctrica em comunicado divulgado junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

Segundo o documento, "a EDP Serviço Universal, comercializador de último recurso do sistema eléctrico português, detido a 100% pela EDP, acordou a venda, através de oito transacções individuais sem recurso, de 10,4% do défice tarifário de 2017 e de 26,1% do défice tarifário de 2018, relativos ao sobrecusto com a produção em regime especial, por um montante de 384 milhões de euros".

 

Estes défices tarifários resultam do diferimento por cinco anos da recuperação dos sobrecustos de 2017 e 2018, respectivamente, com a aquisição de energia aos produtores em regime especial (incluindo os ajustamentos de 2015 e 2016, para o défice tarifário de 2017, e de 2016 e 2017 para o défice tarifário de 2018), conclui o comunicado.

 

A dívida tarifária é gerada para que os sobrecustos anuais com os incentivos à produção de electricidade em regime especial não sejam reflectidos logo na factura, o que iria provocar um aumento abrupto dos preços da luz. Ao criar um passivo, atira-se para o futuro o pagamento gradual do valor que a EDP Serviço Universal tem a receber pela compra da electricidade, diluindo assim os efeitos dos sobrecustos nas facturas das famílias e empresas.

De forma a receber o dinheiro mais cedo, a EDP tem vindo a desfazer-se gradualmente da dívida tarifária que detém, passando para terceiros os recebimentos futuros.