Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

EDP Renováveis não esclareceu detalhes do "offshore"

As informações avançadas pela EDP Renováveis sobre os projectos eólicos "offshore" a desenvolver no Reino Unido não foram suficientemente esclarecedoras, indica o Millennium Investment Banking num relatório sobre a empresa, onde estima, todavia, um impacto positivo na sua avaliação das acções da EDP Renováveis.

Miguel Prado miguelprado@negocios.pt 13 de Janeiro de 2010 às 10:56
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
As informações avançadas pela EDP Renováveis sobre os projectos eólicos "offshore" a desenvolver no Reino Unido não foram suficientemente esclarecedoras, indica o Millennium Investment Banking num relatório sobre a empresa, onde estima, todavia, um impacto positivo na sua avaliação das acções da EDP Renováveis.

A EDP Renováveis promoveu na passada segunda-feira uma conferência para analistas do mercado sobre o novo projecto "offshore", onde poderá investir algo como 4 mil milhões de euros. "Contudo, na nossa opinião, não clarificou muito, porque a empresa não apresentou perspectivas sobre algumas variáveis importantes do projecto, nomeadamente o Capex [investimento] e o Opex [custos operacionais]", refere a análise do Millennium, assinada por Vanda Mesquita.

Quando a companhia anunciou oficialmente ter ganho, em parceria com a escocesa SeaEnergy, os direitos de exploração de uma zona "offshore" ao largo da Escócia, o presidente da EDP, António Mexia, manifestou a sua convicção de que o custo que os 1.300 megawatts (MW) teriam a preços actuais (perto de 4 mil milhões de euros) poderá baixar nos próximos anos, em função dos desenvolvimentos tecnológicos.

Na conferência para analistas, um responsável da EDP Renováveis estimou ainda que na fase preliminar de preparação de estudos para obtenção de licenças a empresa poderá investir cerca de 8 milhões de libras (quase 9 milhões de euros) por ano.

Embora se manifeste pouco esclarecido com as informações prestadas pela EDP Renováveis, o Millennium avalia como positiva a aliança com a SeaEnergy. "A associação à SeaEnergy, um parceiro com experiência nas plataformas no mar, parece ser correcta e ajudará a EDP Renováveis a superar a sua falta de experiência nesta área", comenta a analista do banco de investimento do BCP.

O Millennium Investment Banking estima um impulso positivo destes projectos nas acções da EDP Renováveis, projectando um impacto de 2,51% no seu preço-alvo para o título caso se confirme o início de operações do "offshore" na Escócia em 2015, conforme indicado pela EDP Renováveis.

Ver comentários
Outras Notícias