Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

EMEF e CP Carga passam de prejuízos a lucros

As duas participadas da CP que estão em processo de privatização registaram em 2014 melhorias dos resultados líquidos, do volume de negócios e dos resultados operacionais.

Miguel Baltazar/Negócios
Maria João Babo mbabo@negocios.pt 08 de Maio de 2015 às 18:11
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A CP Carga e a EMEF, cujo processo de privatização já está em curso, registaram em 2014 resultados líquidos de 5,3 milhões e 909 mil euros, respectivamente, de acordo com o relatório e contas da CP, divulgado esta sexta-feira.

 

Em 2013, a CP Carga tinha registado um prejuízo de quase 23 milhões de euros. Já EMEF tinha apresentado perdas da ordem dos 4,4 milhões.

 

Também o volume de negócios das duas empresas cresceu no ano passado. No caso da CP Carga a subida foi de 10% para 63,9 milhões de euros. Já a EMEF registou um crescimento do volume de negócios de 8% para os 55 milhões de euros.

 

Os resultados operacionais de ambas passaram igualmente para terreno positivo. A CP Carga, que em 2013 tinha registado resultados operacionais negativos de 15,5 milhões, apresentou no ano passado valores positivos de 13 milhões. A EMEF, por seu lado, passou de um resultado operacional negativo de 1,7 milhões em 2013 para os 2,2 milhões positivos no ano passado.

 

No relatório e contas, a CP explica que a CP Carga "tem vindo ao longo dos anos a melhorar significativamente a sua performance financeira, alavancando os seus resultados, não só através de um crescimento do seu volume de negócios, como também pelo controlo dos gastos".

 

A CP reconhece, contudo, que numa situação normal os resultados de 2014 da sua participada ainda iriam permanecer negativos, justificando o facto de terem passado para terreno positivo com a transferência dos terminais para a Refer em Dezembro do ano passado.

 

Já no caso da EMEF, a empresa explica que o crescimento da actividade face a 2013 teve por base o aumento de 6% do negócio de reparação e manutenção de material circulante para a CP (mais 2 milhões de euros) e de 50% para a CP carga (mais 2,5 milhões de euros).

 

O Governo aprovou esta quinta-feira o caderno de encargos das reprivatizações das duas empresas, processos que quer concluir até ao final do mandato. De acordo com as regras definidas, os investidores privados vão ter de ficar no capital das empresas durante três anos, o mesmo prazo que ficou definido para a obrigatoriedade de ser mantida a sua sede e direcção em Portugal. O Executivo terá ainda de definir o prazo para a entrega das propostas de potenciais investidores.

Ver comentários
Saber mais CP CP Carga EMEF privatização
Outras Notícias