Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Emirates assume gestão da angolana TAAG

A transportadora áerea angolana continuará a ter a sua sede no país de origem, mas a gestão passará a ser da companhia aérea do Médio Oriente.

Bloomberg
Ana Torres Pereira atp@negocios.pt 30 de Setembro de 2014 às 16:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • 9
  • ...

O Governo angolano assinou com a Emirates um contrato de gestão da sua companhia aérea, a TAAG, que em Portugal voa para Lisboa e para o Porto, dizendo que a companhia dos Emirados, que também voa para Lisboa, "vem ajudar na construção e desenvolvimento de uma nova TAAG".

 

Em comunicado, o Ministério dos Transportes sublinha que "a TAAG continuará a ser uma empresa angolana, utilizada e operada fundamentalmente por angolanos", adiantou a agência noticiosa ANGOP, citada pelo Presstur. 


Mas, a partir de agora a gestão corrente da companhia angolana será assegurada por uma Comissão Executiva integrada pelos quatro administradores executivos indicados pela Emirates, entre eles o presidente do Conselho de Administração, e pelo vice-presidente, que é indicado pelo Governo angolano. 


O comunicado especifica que o acordo foi assinado ontem no Dubai e vem na sequência da "ampla parceria estratégica" estabelecida entre as duas companhias em inícios de Dezembro.

 

"A gestão de topo da TAAG passará a ser principalmente da responsabilidade de uma equipa de executivos da Emirates, especificando que o conselho de administração da TAAG terá nove membros, cinco nomeados pelo Governo angolano, o vice-presidente e quatro não executivos". 


E a Emirates, por sua vez, designa quatro, todos executivos, um deles o presidente da companhia e os administradores com os pelouros comercial, operacional, financeiro e administrativo. 


"Nos termos do acordo, o objectivo é dotar a TAAG de uma gestão profissional de nível internacional, libertando-a de problemas de eficácia e eficiência que vêm persistindo há longos anos, aumentar a oferta de destinos para os passageiros angolanos, melhorar o serviço que presta a estes e elevar os padrões de operacionalidade e segurança", prossegue a notícia da Angop. 


A informação diz que é também propósito deste acordo "a transferência de conhecimentos e boas práticas da Emirates para a TAGG, contribuindo para a formação e potenciação dos gestores e técnicos da companhia aérea angolana, sanear financeiramente a companhia angolana, aplicar maior rigor em todos os processos de controlo, bem como reduzir os custos de operação, através de economias de escala que resultem da aquisição de produtos e serviços na rede do Grupo Emirates". 

 

No mesmo documento é ainda referido que "todos os objectivos serão alcançados sem prejuízos indevidos para os actuais trabalhadores da TAAG, pretendendo-se, antes pelo contrário, a elevação do seu nível profissional e das suas condições de trabalho".

 

Desde o final de 2013, que as duas companhias têm uma parceria estratégica. Na época, as partes detalhavam que o  acordo previa uma primeira fase "oportunidades, a curto prazo, no âmbito da cooperação operacional e comercial entre a TAAG e Emirates", especificando que foram identificadas "quatro áreas onde podem incrementar a sua cooperação, nomeadamente a formação, serviço de passageiros, serviços de carga e programa de passageiro frequente".

 

O acordo começou a ser ‘desenhado’ em 12 de Junho, "quando da visita de uma delegação do Ministério dos Transportes ao Emirato do Dubai.


Depois de estar na lista negra da União Europeia, em Julho do ano passado, Bruxelas definiu que a TAAG só poderia voltar à UE se fosse com um Boeing 777. E já este ano, em Junho, a companhia recebeu o avião, uma aeronave que iria servir rotas como Paris e Londres, bem como consolidar as rotas de Lisboa e Havana, como referia a imprensa na altura.

Ver comentários
Saber mais Governo TAAG Portugal ANGOP Dubai Emirates
Outras Notícias