Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Empresas portuguesas gastam mil milhões de euros por ano a resolver conflitos

A gestão de conflitos organizacionais consome, em média, mil milhões de euros anuais às empresas portuguesas, implicando ainda a perda de 270 milhões de horas de trabalho, segundo um estudo de mercado que será hoje divulgado pela consultora Convirgente.

Negócios com Lusa 27 de Outubro de 2009 às 09:16
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A gestão de conflitos organizacionais consome, em média, mil milhões de euros anuais às empresas portuguesas, implicando ainda a perda de 270 milhões de horas de trabalho, segundo um estudo de mercado que será hoje divulgado pela consultora Convirgente.

"Em Portugal perde-se por ano uma média de 270 milhões de horas de trabalho e cerca de mil milhões de euros a gerir conflitos organizacionais, dos quais 15% nunca são resolvidos", avançou à agência Lusa François Bogacz, presidente executivo da Convirgente, consultora especializada na prevenção, gestão e resolução de conflitos inter-organizacionais e intra-organizacionais.

Esta é uma das conclusões do estudo de mercado encomendado pela Convirgente, empresa lançada em Setembro, que será hoje debatida no evento "Como Prevenir, Gerir e Resolver os Conflitos Organizacionais em Contexto de Crise", que decorrerá pelas 18:30 na Universidade Católica em Lisboa.

Em antecipação ao encontro, François Bogacz revelou que "em Portugal, cada colaborador de uma empresa gasta em média 1,6 horas por semana a gerir conflitos", acrescentando que "há outros custos dos conflitos que resultam para as empresas, para além do tempo perdido pelo colaborador".

"Este custo varia em função da dimensão e número de colaboradores da empresa, no entanto, este é um item que deverá envolver variáveis como a oportunidade de tempo perdido, a má qualidade de decisão, a perda de talentos, a reorganização temporária, a sabotagem, motivação reduzida e faltas", salientou à Lusa o presidente executivo da Convirgente.

Na iniciativa de hoje participarão, além de François Bogacz, João Humberto Matos, professor de negociação da Católica, Stephen Goldberg, co-autor da obra "Resolução de Conflitos" (que será apresentada durante o evento) e especialista mundial em negociação, João Paulo Girbal, empresário e ex-director geral da Microsoft Portugal, Miguel Henriques, administrador do Grupo Lena e Teresa Pignatelli, administradora da RTP.
Ver comentários
Outras Notícias