Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Encomendas à indústria e volume de negócios do sector afundam em Janeiro

O sector industrial está a reflectir fortemente os efeitos da crise económica, tendo registado uma quebra de 12,6% nas encomendas e uma descida de 21,6% do volume de negócios. Estes dados referem-se a Janeiro, quando comparado com igual período do ano passado, e juntam-se aos dados já divulgados que revelaram uma queda acentuada da produção.

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 10 de Março de 2009 às 16:07
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
O sector industrial está a reflectir fortemente os efeitos da crise económica, tendo registado uma quebra de 12,6% nas encomendas e uma descida de 21,6% do volume de negócios. Estes dados referem-se a Janeiro, quando comparado com igual período do ano passado, e juntam-se aos dados já divulgados que revelaram uma queda acentuada da produção.

O Instituto Nacional de Estatísticas (INE) revelou esta tarde que as encomendas à indústria caíram 12,6%, em Janeiro, quando comparado com igual período do ano passado.

Para esta evolução negativa contribuiu quer o mercado interno, cujos pedidos de produtos à indústria diminuíram 14,9%, quer o mercado internacional que fez menos 10,3% das encomendas a Portugal que tinha feito em Janeiro de 2008.

O INE revela que, no que respeita ao mercado nacional, “o agrupamento de Bens de Consumo apresentou o único contributo positivo para a variação do índice total (0,5 p.p.), originado por uma variação homóloga de 4,0% (7,5% em Dezembro). O agrupamento de Bens de Investimento, com uma taxa de variação de -20,4% (-15,9% no mês anterior), apresentou o contributo negativo mais influente para a variação do índice agregado (-8,0 p.p.).”

Já nas encomendas feitas pelo mercado externo, todos os grandes agrupamentos industriais “registaram taxas de variação negativas”, revela a mesma fonte.

Depois da queda das encomendas, e de na semana passada o INE ter revelado que o sector reduziu a produção em 19,1% em Janeiro passado, contra uma redução de 8,8% em Dezembro de 2008, só ficava por revelar as receitas do sector.

E os dados referentes ao volume de negócios confirmam que a indústria está a reflectir fortemente a crise económica.

O INE revelou também hoje que o volume de negócios deslizou 21,6%, em Janeiro face a igual período do ano passado, depois de, em Dezembro, ter registado uma quebra de 13,5%.

“Todos os grandes agrupamentos industriais apresentaram taxas de variação negativas, destacando-se o de Energia, que passou de uma variação homóloga de -22,2% em Dezembro, para -33,0% em Janeiro”, acrescenta a mesma fonte.

“Face ao mês anterior, o índice de volume de negócios na indústria registou uma variação de -8,0%, quando em Janeiro de 2008 registara uma taxa positiva de 1,5%”, adianta o INE.

“O volume de vendas para o mercado nacional apresentou uma taxa de variação homóloga de -17,7% (-11,1% em Dezembro)” e para o “mercado externo apresentou uma variação homóloga de -27,4% (-17,7% no mês anterior)”, segundo o INE.

Ver comentários
Outras Notícias