Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Endesa quer 20% no mercado eléctrico português

A Endesa quer 20% do mercado de venda de electricidade português até 2010. Este objectivo, explicou o responsável do grupo em Portugal, Nuno Ribeiro da Silva, parte do pressuposto, que até ao final da década, o mercado eléctrico esteja todo liberalizado.

Ana Suspiro asuspiro@mediafin.pt 20 de Junho de 2006 às 16:39
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Endesa quer 20% do mercado de venda de electricidade português até 2010. Este objectivo, explicou o responsável do grupo em Portugal, Nuno Ribeiro da Silva, parte do pressuposto, que até ao final da década, o mercado eléctrico esteja todo liberalizado.

A Endesa, que actualmente tem 33% do mercado liberalizado português, está a preparar-se para oferecer electricidade aos consumidores domésticos a partir de Setembro deste ano.

A primeira eléctrica espanhola também quer entrar na comercialização de gás natural em Portugal, revelou o presidente executivo Rafael Miranda.

A empresa aguarda a clarificação do novo quadro legal e regulatório para o sector do gás natural, que deverá entrar em discussão pública nas próximas semanas.

O governo português já anunciou a intenção de antecipar a liberalização do gás natural, que começaria pelo sector eléctrico, mas ainda não há um calendário oficial.

Investimentos acima de mil milhões em Portugal

A Endesa quer investir mais de mil milhões de euros em Portugal nos próximos três anos. Os investimentos vão privilegiar projectos na área da produção de electricidade com o objectivo de atingir em Portugal uma capacidade de potencia instalada de 1.300 megawatts (MW).

Segundo o plano estratégico de 2005 a 2009, 800 MW serão garantidos através de centrais de ciclo combinado, designadamente com uma unidade em Sines em parceria com a EDP, e com o desenvolvimentos de dois grupos a gás natural, de ciclo combinado, na central do Pego (onde a Endesa controla 38,90% do capital).

A eléctrica aposta ainda no desenvolvimento de uma potencias de 500 MW em regime especial com principal destaque para a potência eólica, cujo concurso concorre associada à EDP.

Ver comentários
Outras Notícias