Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

ESR estima que lucros da Mota-Engil tenham atingido os 18 milhões

A Mota-Engil terá encerrado o ano de 2008 com lucros de 18 milhões de euros o que representa uma queda de 81% face aos 97,5 milhões de euros obtidos no anterior, um período em que registou um ganho de capital relacionado com a colocação em bolsa da Martifer. O banco espera que as atenções estejam voltadas para o desempenho das unidades de construção polaca e angolana.

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 10 de Março de 2009 às 10:57
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
A Mota-Engil terá encerrado o ano de 2008 com lucros de 18 milhões de euros o que representa uma queda de 81% face aos 97,5 milhões de euros obtidos no anterior, um período em que registou um ganho de capital relacionado com a colocação em bolsa da Martifer. O banco espera que as atenções estejam voltadas para o desempenho das unidades de construção polaca e angolana.

A Mota-Engil apresentará as suas contas relativas ao exercício de 2008 no próximo dia 12 de Março, antes da abertura do mercado.

“A Mota-Engil deverá anunciar uma queda de 81% no seu resultado líquido de 97,5 milhões de euros para 18 milhões de euros, pois no primeiro semestre de 2008 registou um ganho de capital relacionado com a oferta pública inicial (IPO) da Martifer”, refere a analista Sónia Baldeira no “Iberian Daily” de hoje.

A mesma analista estima que as receitas tenham atingido os 1,868 mil milhões de euros, o que significa um crescimento homólogo de 33,3%, e que o EBITDA tenha subido 10,4% para os 274,3 milhões de euros. A margem EBITDA deverá ter-se situado nos 14,7%, recuando 3,04 pontos percentuais face ao período homólogo.

As receitas de construção deverão ter avançado 39% relativamente a 2007, a reflector um crescimento de dois dígitos na Europa Central e Angola. Já as receitas de concessão poderão ter crescido 7%.
“Se compararmos o quarto trimestre de 2008 com o terceiro trimestre de 2008, os números deverão ter sido afectados pela deterioração das condições macroeconómicas e pelas piores condições meteorológicas para o bom desenvolvimento dos trabalhos de construção, principalmente na Polónia”, sublinha Sónia Baldeira.

A analista do ESR acrescenta que, numa comparação homóloga, os resultados do acumulado de 2008 “devem revelar um crescimento absoluto considerável em todos os segmentos, o que não deve ser uma surpresa pois segue a tendência verificada nos primeiros nove meses de 2008”.

Contudo, os números relativos ao quarto trimestre do ano “deverão mostrar alguma deterioração nas margens, principalmente nos segmentos de construção e de ambiente e serviços”. Sónia Baldeira considera que todas as atenções estarão voltadas para o desempenho das unidades de construção polaca e angolana, para observar “se as margens nestes mercados continuam a melhorar”.

O ESR atribui uma recomendação de “comprar” às acções da empresa liderada por Jorge Coelho. O banco de investimento avalia as acções da companhia em 5,10 euros.

As acções seguiam a avançar 0,28% para os 2,134 euros.




Ver comentários
Outras Notícias