Empresas Estado perde 20 milhões nos casinos com quebra de 10% na facturação

Estado perde 20 milhões nos casinos com quebra de 10% na facturação

Menos apostas nos casinos, azar para os cofres estatais. As 10 salas de jogo a operar em Portugal fecharam 2009 com receitas brutas de 347,7 milhões de euros, menos cerca de 40 milhões de euros do que no ano anterior. Uma quebra homóloga de cerca de 10,3%, de acordo com os dados fornecidos ao Negócios pela Associação Portuguesa de Casinos.
Rui Neves 08 de janeiro de 2010 às 00:01
Menos apostas nos casinos, azar para os cofres estatais. As 10 salas de jogo a operar em Portugal fecharam 2009 com receitas brutas de 347,7 milhões de euros, menos cerca de 40 milhões de euros do que no ano anterior. Uma quebra homóloga de cerca de 10,3%, de acordo com os dados fornecidos ao Negócios pela Associação Portuguesa de Casinos.

Como o Estado vai buscar perto de 50% do que os casinos facturam, é fácil fazer as contas: a contribuição deste sector para o aumento do défice orçamental será de aproximadamente 20 milhões de euros.

A crise económica afectou todos os casinos. As três salas da Estoril-Sol, grupo que detém uma quota de 65,1% do negócio de jogo em casino no País, perderam mais de 25 milhões de euros de receitas no ano passado, tendo encerrado o exercício com proveitos de 226,35 milhões de euros. Uma performance que ficou 10% aquém da conseguida no ano anterior. O de Lisboa foi o que casino que mais facturou em Portugal - quase 90 milhões de euros, tendo também sido a sala do grupo Estoril-Sol que registou uma menor quebra no negócio: facturou menos 7,67%.

logo_empresas




Marketing Automation certified by E-GOI