Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Estado receberá adiantamento até 160 milhões na privatização da REN

A operação de venda de 40% da REN, cujo prazo de recepção de ofertas termina amanhã, deverá resultar no pagamento de prestações iniciais de 100 milhões pela State Grid e de 60 milhões pela Oman Oil.

Miguel Prado miguelprado@negocios.pt 19 de Janeiro de 2012 às 12:08
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
O Estado poderá receber até 160 milhões de euros de pagamentos iniciais dos vencedores da privatização da REN – Redes Energéticas Nacionais, de acordo com as condições estipuladas pelo Ministério das Finanças, já publicadas em “Diário da República”.

O Ministério das Finanças fixou em 100 milhões de euros o valor da prestação pecuniária inicial a suportar pelo comprador caso a posição adquirida na REN seja de 25%, o que, tudo indica, apenas acontecerá com a chinesa State Grid.

No caso de haver ofertas por uma fatia menor, como deverá suceder com a Oman Oil Company, a prestação será proporcional à participação adquirida. E se a empresa do Médio Oriente ficar com os restantes 15% disponíveis na REN isso significará uma prestação inicial de 60 milhões de euros.

Na privatização da REN o Estado está a vender nesta fase 40% da empresa, embora nenhum interessado possa individualmente adquirir mais de 25%. Se a operação for bem sucedida e todas as acções forem alienadas, o Estado conservará ainda uma posição de 11,1% na REN, a vender numa fase posterior, sendo a oferta pública de venda (OPV), destinada aos investidores particulares, uma hipótese em cima da mesa.

Na privatização de 21,35% da EDP, o Governo havia definido como pagamento inicial o valor de 600 milhões de euros, reflectindo, também, um maior valor esperado na transacção (que acabou por ser feita por 2,69 mil milhões de euros).
Ver comentários
Saber mais REN privatização prestação inicial
Mais lidas
Outras Notícias