Empresas Estoril-Sol volta ao despedimento colectivo no Casino do Estoril

Estoril-Sol volta ao despedimento colectivo no Casino do Estoril

A Estoril-Sol, dois anos depois, volta ao despedimento colectivo no Casino do Estoril.
Ana Torres Pereira 06 de julho de 2012 às 00:01
A Estoril-Sol, dois anos depois, volta ao despedimento colectivo no Casino do Estoril. A maior concessionária de jogo de fortuna e azar, avançou, já notificou os trabalhadores e o mercado que pretende dispensar 38 trabalhadores. Já em 2010 havia avançado com um processo semelhante, mas na altura de 112 trabalhadores. Até ao fecho da edição não foi possível obter comentários da administração da empresa.

A Estoril-Sol avançou para o despedimento colectivo de 38 trabalhadores que irá representar um custo de 1,8 milhões de euros, segundo informou a concessionária em comunicado. A empresa diz ainda que prevê que este processo gere 880 mil euros para a economia.

A Estoril-Sol diz, no mesmo documento, que "já informou a Comissão de Trabalhadores e o competente organismo do Ministério da Economia e do Emprego da sua intenção de proceder à cessação de 38 contratos de trabalho das áreas de Food & Beverage, Jogo e Direcção-Geral de Operações".

"Ainda estamos numa fase embrionária, só agora vamos começar a falar com a administração, mas isto é um claro desinvestimento na área de ‘food & beverage’", disse ao Negócios, Nuno Benodis, coordenador da Comissão de Trabalhadores da Estoril-Sol.

"Estamos a falar com trabalhadores com uma massa salarial de 50 mil euros por ano, na casa dos 40 anos e com 10 a 20 anos de casa", explicou o mesmo responsável. Nuno Benodis acusa a empresa de estar a trocar trabalhadores da casa por "outsourcing", enquanto "mantêm o mesmo número de administradores".

Só o Casino do Estoril-Sol emprega 347 trabalhadores que juntamente com o Casino de Lisboa totalizam cerca de 600 trabalhadores.



Marketing Automation certified by E-GOI