Tecnologias EUA e China na corrida pelo 5G

EUA e China na corrida pelo 5G

As preocupações de Donald Trump face ao crescente desenvolvimento tecnológico da China está a fazer com que as operadoras de telecomunicações dos EUA se sintam pressionadas a serem as primeiras a oferecer o sistema 5G.
EUA e China na corrida pelo 5G
Reuters
Raquel Murgeira 02 de abril de 2018 às 18:22

O governo de Donald Trump está preocupado com o grande desenvolvimento tecnológico na China, o que leva a que as operadoras de telecomunicações móveis dos EUA se sintam mais pressionadas a serem as primeiras a apresentar o sistema 5G, o que leva a uma corrida entre as potências dos EUA e da China.

A Verizon Communications Inc, AT&T, T-Mobile US e Sprint Corp. estão a trabalhar no sentido de oferecerem o 5G, que será 100 vezes mais rápido do que o 4G.

Nesta corrida entre os EUA e a China, o que está em jogo é o potencial para conquistar um sector em que os consumidores são leais às operadoras. As empresas querem também desenvolver o sistema o mais rapidamente possível para se acabar com a ideia de que o governo precisa de intervir para acelerar o processo, de acordo com a Bloomberg.

"A corrida é realmente sobre como obter o ícone 5G no telemóvel", disse à Bloomberg, um consultor de da área da rede sem fios, Chetan Sharma. "Na mente do consumidor, o 5G é muito melhor do que o 4G", acrescentou.

Embora o 5G vá ainda demorar dois anos até estar completamente implementado, as operadoras estão a investir cada vez mais no desenvolvimento da tecnologia que lhe está associada. 

Além do marketing, mais de 200 mil milhões de dólares estão a ser gastos por ano por operadoras, empresas de desenvolvimento de software, de chips ou de telemóveis para investimento no estudo da implementação do sistema 5G. Um dos objectivos é o de criar uma rede omnipresente que possa demorar menos nas transferências de dados do que o 4G, de acordo com a Bloomberg.

Ao mesmo tempo que as operadoras estão a tentar avançar com estudos para a implementação do 5G, a ameaça da China em conseguir desenvolvê-lo primeiro levou a Administração de Trump a considerar a criação de uma rede nacional de 5G para proteger a segurança dos EUA, embora nenhuma decisão esteja ainda tomada. De acordo com a Bloomberg, esta consideração por parte do governo americano já conduziu a uma forte contestação no sector, que defende que a indústria privada é a mais adequada para promover esta tecnologia.

Depois de, em 2010, ter sido a primeira a lançar o sistema 4G, a Verizon aumentou a sua quota de mercado em 5 pontos percentuais para 41%. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI