Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Ex-accionista do BPN vai para insolvência com dívida de 471 milhões ao Estado

Depois de chumbada a revitalização, a SLN Valor foi declarada insolvente. O prazo para a reclamação de créditos estende-se até Dezembro. A sociedade estatal Parvalorem é a dona de 93% da dívida.

Pedro Catarino/Correio da Manhã
Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 07 de Novembro de 2016 às 13:23
  • Assine já 1€/1 mês
  • 47
  • ...

A SLN Valor está insolvente desde o início deste mês. Este foi o caminho depois de não ter havido possibilidade de recuperação. É perante a sociedade estatal Parvalorem que a empresa, que tinha Oliveira Costa como um dos accionistas, tem a quase totalidade da sua dívida.

 

"Na Comarca de Lisboa, Lisboa - Inst. Central - 1ª Secção Comércio - J1 de Lisboa, no dia 03-11-2016,às 18:30 horas, foi proferida sentença de declaração de insolvência do devedor: S.L.N. Valor, S.G.P.S., S.A", indica um comunicado publicado no Citius.

 

A publicação da sentença ocorreu esta segunda-feira, 7 de Novembro, havendo agora 30 dias para a reclamação de créditos. Nessas reclamações, tem de constar, entre outros aspectos, o tipo de crédito, as condições, o montante e os juros. Para o futuro da sociedade, "pode ser aprovado plano de insolvência, com vista ao pagamento dos créditos sobre a insolvência, a liquidação da massa e a sua repartição pelos titulares daqueles créditos e pelo devedor". 

 

Há já uma lista de créditos feita em relação à SLN Valor, no âmbito do pedido de entrada num Processo Especial de Revitalização. Aí, foi identificada pelo administrador judicial, Francisco Areias Duarte (que depois do PER, ficará agora a acompanhar a insolvência), uma dívida global de 509 milhões de euros, 93% da qual perante a Parvalorem, sociedade estatal criada após a nacionalização do Banco Português de Negócios (BPN) e que ficou com os créditos tóxicos.

 

Em Maio, a SLN Valor solicitou a entrada em PER mas não chegou a apresentar nenhum plano. A Parvalorem, a principal credora antes de diversos particulares e da Abreu Advogados, já tinha dado indicações de que iria rejeitá-lo. Seguiu-se a insolvência.

Grupo deve 1.700 milhões ao Estado

 

A SLN Valor detinha 31,7% da Galilei, a ex-SLN, cujo grande activo era o BPN. A queda da instituição financeira, em 2008, tirou a grande fonte de dividendos ao grupo SLN e, daí, aos seus accionistas, de que a SLN Valor é exemplo. A Galilei, sem o banco, encontra-se em insolvência. Só que, ao contrário da SLN Valor, o PER da Galilei SGPS foi apresentado mas os credores, mais uma vez com o Estado à cabeça, recusaram-no. Em Setembro, o relatório da insolvência da Galilei foi aprovado. O Estado tinha 1.300 milhões de euros a recuperar da Galilei. A que se juntam os 471 milhões a recuperar da SLN Valor. 

 

A SLN Valor era, até 29 de Março, liderada por Alberto Figueiredo, que era accionista também da antiga SLN, e contava, também até essa data, ainda com quatro vogais da administração (António Cavaco, Fernando Cordeiro, Lina Araújo e Patrícia Rosa), de acordo com informações constantes no Portal de Justiça. Não há informações publicadas sobre quem é a nova liderança da sociedade através da qual Oliveira Costa mantinha o controlo sobre toda a esfera do BPN, como indiciou o Ministério Público nas investigações feitas à gestão do banco, nacionalizado em 2008.

Ver comentários
Saber mais BPN Oliveira Costa Lisboa Comarca de Lisboa Comarca de Lisboa S.G.P.S. S.A Processo Especial de Revitalização Francisco Areias Duarte
Outras Notícias