Comércio Expansión: Sonae, Carrefour e Lidl ponderam lançar OPA sobre o Dia

Expansión: Sonae, Carrefour e Lidl ponderam lançar OPA sobre o Dia

O grupo espanhol Dia está num processo de reestruturação e sob uma oferta pública de aquisição (OPA) do bilionário russo Mikhail Fridman. O jornal Expansión revela que há outros interessados no retalhista espanhol: Carrefour, Lidl e Sonae.
Expansión: Sonae, Carrefour e Lidl ponderam lançar OPA sobre o Dia
Bloomberg
Sara Antunes 14 de fevereiro de 2019 às 10:49

O grupo Dia está a atrair atenções. Depois da oferta pública lançada por Mikhail Fridman, há outros interessados nestes ativos. O Expansión diz que três dos maiores grupos de distribuição da Europa poderão entrar na corrida. E especifica: o francês Carrefour, o alemão Lidl e a portuguesa Sonae.

Contactada, fonte oficial da Sonae diz que" tem por política não comentar rumores e especulações, sendo que este princípio se mantém".

Estas três empresas estarão a analisar o grupo espanhol, o que poderá ditar o lançamento de ofertas concorrentes à do empresário russo, de acordo com fontes financeiras, que adiantam que um fundo também mostrou interesse no Dia.

As ações do Dia estão a subir 1,81% para 0,6514 euros, tendo chegado a apreciar mais de 5%. Já o Carrefour está a cair 1,59% para 17,64 euros e a Sonae SGPS cede 0,28% para 0,904 euros. O Lidl não está cotado. 

 

Mikhail Fridman, que detém atualmente 29% do capital do Dia através do fundo Letterone, lançou uma OPA sobre a totalidade do capital da retalhista, oferecendo 0,67 euros por ação, o que representou no dia do seu lançamento, um prémio de 56%.

 

O grupo Dia está num processo de reestruturação, tendo já mandatado o Santander e o BBVA para encontrarem um comprador para a Clarel, cadeia de lojas de drogaria, perfumaria e higiene pessoal, que em Portugal conta com 73 estabelecimentos.

 

O empresário russo bateu com a porta por considerar insuficiente o aumento de capital de 600 milhões de euros planeado pela atual liderança do grupo, o que levou a que os representantes do fundo Letterone abandonassem mesmo os seus cargos no conselho de administração.

No final do mês de janeiro também foi noticiado que o empresário português Luís Amaral tinha comprado uma participação de cerca de 1% no capital do grupo espanhol Dia. E segundo noticiou o Expansión o CEO da Eurocash, empresa de retalho grossista na Polónia, estará do lado da atual administração do Dia, encabeçada por Borja de la Cierva. 

 

Entretanto, já foram conhecidos os resultados de 2018, tendo o grupo espanhol Dia passado de lucros de mais de 100 milhões em 2017 a prejuízos de 352,6 milhões no ano passado, entrando em falência técnica neste período. Para reverter a situação é agora necessário um aumento de capital, uma operação que a empresa prevê que se realize até ao mês de abril. 

 

Sobre o mercado nacional, o grupo Dia, que em Portugal detém a rede de supermercados Minipreço, registou mais de 16 milhões de euros de resultados operacionais negativos no ano passado, informou esta sexta-feira o grupo espanhol. As operações em Portugal encerraram o ano com vendas líquidas de 628,6 milhões de euros, uma quebra de 5,2% face a 2017.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI