Tecnologias Facebook alvo de mais uma polémica: Dados de SMS e chamadas foram guardados

Facebook alvo de mais uma polémica: Dados de SMS e chamadas foram guardados

A par da informação já armazenada pelo Facebook relativamente aos dados de contas na rede social, os utilizadores descobrem agora que as chamadas feitas através de smartphones com sistema Android e as mensagens enviadas por SMS foram igualmente guardadas pela rede social.
Facebook alvo de mais uma polémica: Dados de SMS e chamadas foram guardados
Reuters
Raquel Murgeira 26 de março de 2018 às 17:54

Os últimos tempos não têm sido fáceis para o Facebook. Depois da polémica em torno do facto de a empresa Cambridge Analytica ter sido capaz de aceder a informação pessoal de mais de 50 milhões de utilizadores, sem a permissão dos mesmos, surge agora um novo escândalo que volta a colocar o Facebook sob pressão.

Em função do movimento #DeleteFacebook, os utilizadores começaram a descarregar, nas definições de cada página pessoal, os seus dados pessoais armazenados pelo Facebook, ao longo do tempo de utilização da rede social, e descobriram também registos de chamadas feitas pelo smartphone e também mensagens enviadas por SMS dos últimos anos, segundo a Bloomberg.

A rede social mais utilizada do mundo já veio negar que tenha armazenado, de forma secreta, as chamadas e mensagens dos utilizadores que usam dispositivos móveis Android. Tendo esclarecido que para a utilização de ferramentas como o Mensenger é necessário fazer um registo que requer acesso à lista de contactos ou ao histórico das chamadas feitas nos dispositivos Android. O algoritmo recomenda amigos e é capaz de distinguir entre contactos pessoais ou de trabalho.

"As pessoas têm que concordar expressamente para usar este recurso", afirma a empresa, citada na Bloomberg. No entanto, o Facebook já informou que este registo pode ser desactivado nas configurações.

"O Cambridge Analytica é apenas a ponta do iceberg quando se trata de questões de privacidade com esses tipos de serviços online", disse Matt Suiche, fundador do provedor de segurança Comae Technologies, citado na Bloomberg.

Antes da nova polémica que envolve o Facebook, a rede social tinha divulgado um pedido de desculpas por não conseguir fazer mais para evitar a fuga de dados dos utilizadores.

Nesta altura as acções do Facebook caem 2,23% para 155,833 dólares.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI