Tecnologias Facebook vai reduzir vídeos virais para dar mais tempo de qualidade aos utilizadores

Facebook vai reduzir vídeos virais para dar mais tempo de qualidade aos utilizadores

O co-fundador e CEO da rede social Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou esta noite, aquando da apresentação dos resultados do quarto trimestre, que está a reduzir a apresentação de vídeos virais de modo a que o tempo das pessoas seja "bem passado".
Carla Pedro 31 de janeiro de 2018 às 23:14

O Facebook está a reduzir os vídeos virais, numa altura em que tenta melhorar a qualidade do tempo que as pessoas passam a navegar na rede social. O anúncio foi feito pelo seu CEO, Mark Zuckerberg, esta noite, aquando da apresentação das suas contas.

"No último trimestre, já procedemos a mudanças para se começar a ver menos vídeos virais, de modo a garantir que o tempo das pessoas é bem passado", afirmou, citado pela Variety. "No total, fizemos alterações que reduziram em cerca de 50 milhões de horas por dia o tempo que se passa no Facebook", acrescentou.

E prosseguiu: "Em 2018, estaremos focados em garantir que o Facebook não é apenas algo giro de usar, mas que seja também bom para o bem-estar das pessoas e para a sociedade. Iremos fazê-lo incentivando contactos com significado entre as pessoas, em vez de um passivo consumo de conteúdos".


Este anúncio, a par com uma desaceleração no aumento do número de utilizadores, desgostaram os investidores, com as acções da rede social a caírem perto de 5% na negociação fora do horário regular da bolsa nova-iorquina.

 

De facto, a audiência de "Facebookianos" decepcionou o mercado. O número de utilizadores activos mensais entre Outubro e Dezembro foi de 2,13 mil mihões, em linha com as estimativas do consenso de mercado. Apesar de, em termos homólogos, ter havido uma subida de 14%, o crescimento face ao trimestre anterior desacelerou para 3,39%.

 

Já em relação aos utilizadores activos diários, "logaram-se" diariamente a esta rede social 1,40 mil milhões de pessoas, quando as projecções apontavam para 1,41 mil milhões. O crescimento, face ao período homólogo, foi de 14% - e, face ao trimestre anterior, a subida de utilizadores diários foi de 2,18%, o que também revelou um abrandamento.

 

Estes números acabaram por influir mais no desempenho em bolsa, apesar de as receitas entre Outubro e Dezembro terem superado as projecções pelo 11.º trimestre consecutivo. Além disso, no acumulado de 2017, a tecnológica gerou uma facturação de 40,65 mil milhões de dólares, contra 26,89 mil milhões um ano antes.

 

Com este anúncio sobre a redução dos vídeos virais, o CEO do Facebook mostra que a responsabilidade social continua a ser um aspecto crucial para a empresa.

 

Já na apresentação de contas do terceiro trimestre Mark Zuckerberg tinha surpreendido, ao dizer que a empresa poderia ver a sua rentabilidade penalizada nos próximos tempos, dado o investimento previsto em segurança para proteger a rede social de abusos depois de ter sido palco de tentativa, pelos russos, de manipular a política norte-americana. "Proteger a nossa comunidade é mais importante do que maximizar lucros", sublinhou Zuckerberg nessa ocasião.