Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Facebook deu dados inflacionados aos anunciantes

De acordo com o WSJ, a rede social apenas contabilizava as visualizações de vídeos que demoravam mais de três segundos, excluindo as não visualizações ou períodos de assistência menores, o que deturpava os resultados. Este mês corrigiu o "erro", mas os anunciantes querem mais explicações.

5 - Facebook – De amigo em amigo, a rede social cresceu e é hoje um portento. A marca liderada por Zuckerberg está avaliada em 46,13 mil milhões.
REUTERS
Paulo Zacarias Gomes paulozgomes@negocios.pt 23 de Setembro de 2016 às 08:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

A rede social Facebook tem estado a fornecer aos seus anunciantes dados inflacionados sobre o tempo que cada utilizador passa a ver vídeos na sua plataforma, o que pode ter justificado a crescente popularidade deste suporte publicitário.

De acordo com o Wall Street Journal, a empresa contabilizou ao longo de dois anos apenas as pessoas que viram o vídeo por mais de três segundos e não leva em linha de conta o número de utilizadores que não viram o vídeo ou que assistiram apenas por um período de tempo mais curto.

Trata-se, segundo a companhia, de um "erro" reconhecido há semanas e que já foi resolvido e notificado aos clientes. A anomalia, garante a empresa, não tem impacto na contabilidade, embora vários grandes anunciantes ficaram incomodados com a métrica inflacionada e pediram mais explicações à Facebook.

A companhia terá dito à agência de meios Publicis que o antigo método de contabilização sobrestimava entre 60% e 80% o tempo médio de visualização dos vídeos. As métricas devolvidas pelo Facebook influenciaram a escolha das plataformas para anúncio, onde a rede concorre com o YouTube, o Twitter e mesmo as estações de televisão.

A Facebook já anunciou a implementação de novas métricas este mês, adoptando o tempo médio de visualização como padrão, abrangendo qualquer duração de vídeo.

A rede social tem mais de 1.700 milhões de utilizadores em todo o mundo e tem colocado a publicidade agregada a vídeo como um dos pontos centrais da sua estratégia e um dos motores de crescimento em termos de receitas.

Os títulos da Facebook encerraram a sessão desta quinta-feira a subir 0,11% para 130,08 dólares.

Ver comentários
Saber mais Facebook YouTube Wall Street Journal ciência e tecnologia economia negócios e finanças
Mais lidas
Outras Notícias