Construção Família recompra participação do fundo Vallis no grupo Ramos Catarino

Família recompra participação do fundo Vallis no grupo Ramos Catarino

O fundo criado  para a reestruturação de construtoras em dificuldades chegou a acordo para vender os 75% que detinha no grupo Ramos Catarino à família, concluindo a alienação da totalidade dos seus activos.
Família recompra participação do fundo Vallis no grupo Ramos Catarino
Reuters
Maria João Babo 06 de março de 2018 às 11:25

O Vallis Construction Sector Consolidation Fund, constituído para a recuperação de empresas do sector da construção, anunciou esta terça-feira que estabeleceu um acordo de alienação da sua participação de 75% no Grupo Ramos Catarino a Vitor Catarino e Jorge Catarino, que com este acordo passam a deter a totalidade do capital social.

A alienação desta participação "dá uma oportunidade à família Catarino de continuar o ciclo de crescimento de volume de negócios e de carteira de obras iniciado em 2017, onde foi possível estabilizar as operações após a aprovação do PER em 2016, bem como retomar a confiança dos clientes e parceiros do Grupo Ramos Catarino", afirma o fundo numa nota, sem divulgar os valores do negócio.

O fundo, que chegou a agregar várias empresas do sector da construção civil e obras públicas, como Edifer, MonteAdriano, Hagen e Eusébios, entre outras, incluiu, em 2016, o grupo Catarino no seu portefólio.

As diferentes construtoras foram reunidas no Grupo Elevo, o qual foi adquirido no ano passado por 90 milhões de euros pela Nacala Holdings, liderada por Gilberto Rodrigues, antigo responsável da Mota-Engil África.

O Vallis Construction Sector Consolidation Fund salienta na mesma nota que "após ter alienado a totalidade dos seus activos, conclui assim um ciclo de intervenção na reestruturação de construtoras em graves dificuldades financeiras e operacionais, a que se propôs, e no qual deu o seu contributo ao nível da gestão na execução de processos de consolidação empresarial, adaptação estratégica e eficiência operacional".




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Pierre Ghost 06.03.2018

...ou seja.. aderem ao PER...sao-lhes perdoadas as dividad á CGD...constituem um fundo de revitalizaçao...e com os xuxas a ajudar na mama...voltam a comprar por uva mijona as empresas...pars novamente darem o golpe !!!
PHORCOS !!! EXCOMUNGADOS SEJAIS !!!

Saber mais e Alertas
pub