Desporto FCP reduz prejuízos para 24 milhões de euros

FCP reduz prejuízos para 24 milhões de euros

A SAD do Futebol Clube do Porto reportou perdas de 23,9 milhões de euros no primeiro semestre fiscal da época de 2017/18, uma melhoria face aos prejuízos de 29,58 milhões no período homólogo da época anterior.
Carla Pedro 28 de fevereiro de 2018 às 23:32

O clube dos dragões registou um resultado líquido negativo de 23,926 milhões de euros no seu primeiro semestre fiscal da época de 2017/18, o que reflecte uma melhoria de 5,653 milhões face ao período homólogo – quando reportou perdas de 29,58 milhões.

 

No período de referência, entre Julho e Dezembro de 2017, os resultados operacionais excluindo proveitos com passes de jogadores melhoram em 1,003 milhões de euros, pelo aumento dos rendimentos, ainda que as receitas obtidas pela participação do FC Porto nas competições europeias tenha diminuído, refere o comunicado das contas divulgado pela SAD do clube junto da CMMV.

 

No seu relatório, o clube portuense sublinha ainda que "apesar dos custos operacionais excluindo custos com passes de jogadores terem crescido 2,089 milhões de euros este semestre, as remunerações atribuídas a atletas e técnicos diminuíram 2,904 milhões".

Por sua vez, o capital próprio consolidado era de 33,206 milhões de euros negativos a 31 de Dezembro de 2017, o que representa uma diminuição de 24,071 milhões devido à incorporação do resultado líquido obtido.

Já o activo total líquido foi reduzido em 31,351 milhões de euros face a 30 de Junho de 2017, atingindo os 347,074 milhões no final do passado mês de Dezembro, devido à queda dos valores a receber de clientes.

 

O passivo total atingiu no final do semestre os 380,28 milhões de euros, correspondendo a uma queda de 7,28 milhões – decorrente da diminuição do saldo a pagar a fornecedores. "O passivo remunerado do grupo sofreu também uma redução, ainda que ligeira, no período em análise", salienta o comunicado com os resultados do clube dos azuis.

O FCP encerrou a sessão desta quarta-feira a somar 3,82% para 68 cêntimos por acção.

(notícia actualizada às 23:58)