Desporto Francisco J. Marques confirma 784 mil euros transferidos para o Estoril mas nega corrupção

Francisco J. Marques confirma 784 mil euros transferidos para o Estoril mas nega corrupção

Director de comunicação do FC Porto fala em questões relacionadas com vendas de jogadores.
Francisco J. Marques confirma 784 mil euros transferidos para o Estoril mas nega corrupção
Negócios 02 de março de 2018 às 00:16
O director de comunicação do FC Porto voltou a negar a existência de quaisquer actos de corrupção levados a cabo pelos dragões no encontro com o Estoril, nomeadamente pagamentos aos canarinhos no sentido de perderem o encontro referente à 18.ª jornada - que, segundo foi noticiado hoje, terá sido alvo de denúncia anónima na Procuradoria-Geral da República, noticiou o Record.

"É falsa porque, evidentemente, o FC Porto não comprou o resultado do jogo com o Estoril. É uma calúnia e uma ofensa aos jogadores e ao clube todo".

"Fundamentalmente, a notícia refere dois aspectos: um, alegadamente, o de que na véspera do jogo, dia 20 Fevereiro, terá havido uma reunião entre dirigente do FC Porto e alguém da Traffic, proprietária do Estoril. Falso! Não houve reunião nenhuma. Queria só recordar que nesta data, dia 20 Fevereiro, as relações entre o FC Porto e o Estoril estavam complicadas. Todos nos lembramos que o Estoril impediu troca de bilhetes aos adeptos do FC Porto. Não temos más relações mas houve atrito devido a uma situação incompreensível de não deixar trocar no estádio", explicou Francisco J. Marques no programa 'Universo Porto da Bancada', no Porto Canal.

Francisco J. Marques confirmou ainda uma transferência de 730 mil euros para o Estoril mas explicou que a mesma se destinou a saldar dívidas aos canarinhos relativas a transferências de jogadores, como Carlos Eduardo ou Licá.

"Na 2.ª parte da reunião terá havido posteriormente uma transferência de 730 mil euros do FC Porto para o Estoril. Nos dias imediatamente a seguir ao jogo. Isso também é falso. Não houve nenhuma transferência bancária ou de outro tipo. Houve sim, antes. Absolutamente nada a esconder".

E acrescentou: "documentação a demonstrar: No dia 14 de Fevereiro, uma semana antes, FC Porto faz uma transferência de 784 mil euros… documento do Novo Banco confirma. Por que motivo fez esta transferência? Porque nesse dia teve dinheiro. Houve receita do Liverpool. Não foi o único pagamento que o FC Porto fez nesse dia. Outros clubes receberam facturas vencidas que o FC Porto tinha de pagar. Nesse dia houve liquidez". 

E a que se referem? "Tenho aqui para mostrar a factura emitida pelo Estoril do dia 26/10/2017 que chegou a 2/11 referente a valores que o FC Porto tinha em dívida e reconheceu já com algum tempo. Referem-se à transferência do jogador Carlos Eduardo para o Al-Hilal. O Estoril tinha direito a 20% dos direitos económicos e 40% dos direitos da cedência temporária de Licá. O FC Porto saldou IVA a 7 de Novembro. Comprometeu-se com o Estoril saldar esta dívida até final de Março de 2018. Porque para obter licenciamento da UEFA não se pode ter dívidas com jogadores e clubes. Transferência uma semana antes do jogo diz respeito a dívidas antigas", sublinhou.