Banca & Finanças Fundo da banca já pagou 30 milhões em juros com empréstimos ao Novo Banco

Fundo da banca já pagou 30 milhões em juros com empréstimos ao Novo Banco

O presidente do Fundo de Resolução da banca, que é também vice-governador do Banco de Portugal, contou aos deputados que logo em Agosto pagou 1,3 milhões de euros em juros. A que se juntaram 28,8 milhões pagos em Novembro.
Fundo da banca já pagou 30 milhões em juros com empréstimos ao Novo Banco
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 25 de novembro de 2014 às 16:29

O Fundo de Resolução da banca, que é o accionista único do Novo Banco, herdeiro dos activos saudáveis do BES, já pagou perto de 30 milhões de euros em juros, segundo o seu presidente, José Berberan Ramalho.

 

1,3 milhões de euros saíram dos cofres do fundo de resolução ainda em Agosto. Um dia depois da resolução, a 4 de Agosto, o Tesouro estatal emprestou, além dos 3,9 mil milhões injectados, mais 635 milhões como adiantamento, até que a banca pudesse emprestar a sua parcela de 700 milhões de euros. A 28 de Agosto, o sistema financeiro fez esse empréstimo. E no dia seguinte foi devolvido o dinheiro ao Estado.

 

"Deu lugar ao pagamento de juros ao Estado no valor de cerca de 1,3 milhões de euros", contou aos deputados Berberan Ramalho, na comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do GES.

 

Assim, a 29 de Agosto, o Novo Banco estava financiado com 4,9 mil milhões de euros – 3,9 mil milhões vindos do Estado (da troika), 700 milhões de um empréstimo da banca e 300 milhões através de recursos próprios do fundo (alcançados através das contribuições iniciadas em 2012). Os empréstimos do Estado e da banca têm uma maturidade de três meses, sendo reembolsados até a um máximo de dois anos - altura em que o Novo Banco tem de ser vendido. 

 

"Tendo já sido cumprido o primeiro período dos empréstimos concedidos ao fundo de resolução, ambos foram renovados por um período adicional de três meses. Por ocasião da renovação do empréstimo do Estado, em 4 de Novembro, o fundo pagou ao Estado juros no montante de 28,8 milhões", explicou José Berberan Ramalho. 

 

Ou seja, juntando os 1,3 milhões pagos em Agosto e os 28,8 milhões devolvidos em Novembro, "o fundo de resolução já pagou ao Estado um total de juros de 30 milhões de euros, aproximadamente".

 

"Neste enquadramento, o Fundo de Resolução encontra-se actualmente devedor de dois empréstimos, no montante total de 4.600 milhões de euros, e detém a integralidade do capital social do Novo Banco, presentemente avaliado em 4.900 milhões de euros", afirmou o vice-governador do Banco de Portugal. A diferença de 300 milhões deve-se ao valor que já constitui recursos próprios do fundo. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI