Imobiliário Goldman pode encaixar 1,14 mil milhões de euros com venda de sede europeia

Goldman pode encaixar 1,14 mil milhões de euros com venda de sede europeia

O Goldman Sachs Group Inc pretende vender a sede europeia em Londres e arrendá-la antes de mudar de instalações, já no próximo ano.
Goldman pode encaixar 1,14 mil milhões de euros com venda de sede europeia
Reuters
Raquel Murgeira 26 de fevereiro de 2018 às 16:13

O Goldman Sachs Group Inc. pondera vender a sede europeia em Londres, numa operação que deverá render ao banco mil milhões de libras (1,14 mil milhões de euros). Posteriormente, o banco vai arrendar o edifício até se mudar definitivamente para uma nova sede noutra zona da capital londrina, já no início do próximo ano.

A Bloomberg adianta que nenhuma decisão final sobre esta venda foi ainda tomada. E fonte oficial do grupo financeiro não comenta a potencial venda.

A procura por parte dos investidores estrangeiros levou, no último ano, a que várias empresas vendessem e alugassem os próprios edifícios. A subida dos preços levou a que as "yields" dos melhores edifícios na capital londrina recuassem para um mínimo histórico de 4%.

A nova sede do Goldman em Londres vai ter cerca de 78.000 metros quadrados de área de escritórios, podendo receber cerca de 9.600 trabalhadores. Caso a decisão de vender o edifício seja o cenário escolhido pelo grupo financeiro, o valor exacto será calculado em função do aluguer a pagar pela empresa.

O valor exacto do edifício será determinado pelo aluguer que o Goldman concorde em pagar. Assim, segundo a Bloomberg, num cenário hipotético, se o banco pagasse um arrendamento de 70 libras por metro quadrado, que é a taxa paga nos novos escritórios na cidade de Londres, o edifício teria um valor de cerca de 1,5 mil milhões de libras, isto representa um rendimento de 4%.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 26.02.2018

Sim, vendem e depois recebem as rendas... devem ser Rent Debt Obligations, só mesmo a Goldman, ou então o Jornal de Negócios...

pub