Indústria Grupo Purever tem sete fábricas em quatro países

Grupo Purever tem sete fábricas em quatro países

O grupo Purever, fabricante de produtos de isolamento e refrigeração, tem actualmente sete fábricas em quatro países, factura mais de 80 milhões de euros e emprega cerca de 400 pessoas.
Grupo Purever tem sete fábricas em quatro países
O grupo Purever emprega actualmente cerca de 400 pessoas e fechou 2017 com uma facturação que ultrapassou os 80 milhões de euros e um EBITDA superior a seis milhões.
Rui Neves 20 de fevereiro de 2018 às 22:01

280 trabalhadores em nelas e gaia
O complexo fabril de Nelas, sede do grupo, que facturou 24 milhões de euros no ano passado, com mais de metade nas exportações, e emprega 220 pessoas, integra quatro áreas produtivas: estanteria modular, portas isotérmicas, câmaras modulares e salas limpas, sendo que o pavilhão que acolhe este último segmento produtivo é inaugurado esta quarta-feira. E tem em Gaia uma unidade produtora de equipamento para hotelaria e restauração, com vendas de 12 milhões de euros e 80 trabalhadores.

mais indústrias em frança e inglaterra
Em França, onde fechou a operação de compra de uma grande concorrente, a Purever tem actualmente duas fábricas - uma na Bretanha, com vendas de 10 milhões de euros e 25 trabalhadores, e outra em Limoges, que factura quatro milhões e emprega 18 pessoas. No Reino Unido, onde está a ultimar a aquisição de uma empresa na zona de Norfolk, o grupo sediado em Nelas tem uma pequena unidade industrial no País de Gales, que fabrica portas isotérmicas, emprega 20 pessoas e facturou cerca de cinco milhões de euros no último exercício.


duas fábricas em espanha
Em Espanha, a Purever opera duas unidades industriais - uma em Madrid, que produz painéis isotérmicos, factura 12 milhões de euros e emprega meia centena de pessoas, e outra em Valência, que arrancou no ano passado com o fabrico de portas rápidas enroláveis.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub