Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Grupo Pestana investe 35 a 45 milhões por ano em novos projectos até 2019

A dimensão internacional é a que mais vai pesar nesta nova fase de investimento da maior cadeia hoteleira em Portugal. Nos próximos quatro anos são cerca de 1.500 novos quartos. Portugal também está na lista com quatro projectos.

Wilson Ledo wilsonledo@negocios.pt 15 de Setembro de 2015 às 12:54
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...

O Grupo Pestana vai desenvolver dez novos projectos até 2019, sendo seis deles a uma escala internacional. Por ano, a cadeia hoteleira prevê investir entre 35 e 45 milhões de euros no lançamento destas novas unidades. Contas feitas, o investimento total poderá atingir os 180 milhões de euros e criar cerca de 700 novos postos de trabalho.

O plano de expansão internacional passa pela abertura de novos hotéis em Amesterdão, Marraquexe, Madrid, Nova Iorque, Montevideu, Madrid e Rio de Janeiro (na Barra da Tijuca). Já em território português, estão previstos projectos nos Açores, Madeira, Lisboa (na Rua da Prata) e em Tróia.


"Vamos abrir cerca de 1.500 novos quartos até 2019. Em bom rigor, [a maioria das aberturas] vai acontecer até 2017 e 2018", informou José Roquette, administrador para a área de desenvolvimento do grupo hoteleiro, num encontro com jornalistas esta terça-feira, 15 de Setembro.


Neste plano de investimento, não ficam esquecidas as remodelações das unidades já existentes, até porque Portugal representou 54% das receitas do grupo em 2014. "Estamos permanentemente a reinvestir em todos os hotéis", refere o responsável. Ainda assim, José Roquette admite que "se calhar, durante algum tempo, houve hotéis que esperaram demais pela sua remodelação".


Para a expansão internacional, há outras localizações a serem estudadas, com a Europa em destaque. "Paris ou Bruxelas seriam cidades onde gostaríamos de estar presente", exemplifica o responsável. A verdadeira barreira em França está nas "dificuldades fiscais" e na "rigidez laboral" do país.


Fora dos planos não fica a abertura de mais uma unidade na Alemanha ou Inglaterra, até porque o hotel de Londres é "aquele que mais tem superado as expectativas" além-fronteiras. "À medida que entramos em novos mercados, vamos tendo de competir com os melhores, que era algo que não tínhamos de fazer antes", acrescentou.


A intenção do grupo hoteleiro é continuar a fazer a sua expansão através do desenvolvimento de unidades próprias, sendo detentor dos respectivos imóveis e não apenas gestor das mesmas. José Roquette não fecha a possibilidade de uma maior aposta nos contratos de gestão, admitindo contudo que este é um "crescimento difícil".


Fora de questão não fica também a alienação de activos que integram o portefólio do grupo. "Pode fazer sentido", responde o responsável quando questionado sobre essa possibilidade. "É preciso perceber que alguns já atingiram a sua maturidade", mas serão as condições do mercado a ditar as hipotéticas alienações, rematou. Actualmente, o grupo conta com um activo imobilizado superior a 1.100 milhões de euros.


O Grupo Pestana é o maior grupo hoteleiro português e conta com 87 unidades distribuídas por 16 países, num total de 10 mil quartos e sete mil colaboradores. Com os novos projectos, o objectivo é o de atingir os 13 mil quartos. Por ano, a cadeia conta com um universo de três milhões de clientes. Reino Unido, Portugal e Brasil são as nacionalidades que mais pesam nos balanços.

Ver comentários
Saber mais Grupo Pestana Pestana José Roquette turismo hotelaria e alojamentos economia negócios e finanças
Outras Notícias