Indústria Guerra pela Fibria leva gigante do papel para máximos históricos

Guerra pela Fibria leva gigante do papel para máximos históricos

A brasileira Fibria está sob os holofotes dos investidores, numa altura em que tem dois interessados na sua compra. A aquisição desta gigante vai dar origem à maior empresa de celulose do mundo.
Guerra pela Fibria leva gigante do papel para máximos históricos
Bloomberg
Sara Antunes 13 de março de 2018 às 11:00

As acções da Fibria valem mais de 70 reais, um valor superado na última sessão e que coloca a empresa brasileira no valor mais elevado de sempre. A cotada, que se estreou em bolsa em 1994, está a acumular uma subida superior a 45% desde o início deste ano.

 

E muito devido às notícias sobre o interesse de outras empresas na sua aquisição. Algo que se intensificou na segunda-feira, 12 de Março.

 

Depois de várias notícias que deram conta do interesse por parte da Suzano Papel e Celulose, ontem entrou nesta guerra a holandesa Paper Excellence e fez acentuar a tendência de ganhos das acções.

 

As contrapartidas oferecidas serão semelhantes e avaliam a Fibria em 40 mil milhões de reais (9,9 mil milhões de euros), ou seja, 70 reais por acção, de acordo com a imprensa internacional, que cita fontes próximas do processo.

 

A decisão estará nas mãos do Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES), que detém 29% das acções da Fibria. O banco está a avaliar as duas propostas, de acordo com a imprensa brasileira.

 

A Suzano, que em 2003 teve uma parceria com a Sonae com vista à privatização da Portucel, já terá inclusivamente concluído a estrutura de financiamento da Fibria.

 

De acordo com o Valor Econômico a empresa que estará mais bem colocada nesta batalha é a brasileira Suzano. A publicação Infomoney adianta que os analistas calculam que uma aquisição por parte da Suzano criaria sinergias de 1,6 mil milhões de reais ao nível do EBITDA. Já no que respeita ao rácio dívida líquida/EDITDA, este deverá duplicar para um valor entre 4 e 4,2 vezes.

 

As negociações para a compra da Fibria estarão a decorrer desde Fevereiro, segundo a imprensa. Seja qual for a empresa que consiga ganhar a guerra pelo controlo da Fibria passará a ser a maior empresa de celulose do mundo, realça imprensa brasileira.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 13.03.2018

As "celuloses" portuguesas são anãs perto destes colossos, mas ainda assim não param de sacar isenções fiscais e subsídios, para além de proteccionismo anti-mercado à la Trampa.

comentários mais recentes
Anónimo 13.03.2018

As "celuloses" portuguesas são anãs perto destes colossos, mas ainda assim não param de sacar isenções fiscais e subsídios, para além de proteccionismo anti-mercado à la Trampa.

pub