Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Impresa reduz prejuízos para 7,4 milhões de euros no primeiro trimestre (act2)

A Impresa, empresa que controla a SIC, anunciou hoje que obteve um resultado líquido negativo de 7,4 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, menos 12% que no período homólogo de 2002, beneficiando da redução de custos.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 28 de Abril de 2003 às 11:25
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

(actualiza com tabela de resultados e previsões para 2003)

A Impresa, empresa de media que controla a estação de televisão SIC, anunciou hoje que obteve um resultado líquido negativo de 7,4 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, menos 12% que no período homólogo de 2002, beneficiando da redução de custos.

Nos primeiros três meses de 2002 a Impresa tinha registado prejuízos de 8,44 milhões de euros e o BPI previa que a empresa registasse prejuízos de 10,1 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano.

As receitas da Impresa ascenderam a 54,78 milhões de euros, mais 7,3% que o valor pró-forma obtido em 2002 e superando também as estimativas dos analistas.

«Este aumento das receitas deveu-se ao bom comportamento das vendas de publicações, com um crescimento de 13,7%, ao aumento das receitas dos canais temáticos em 15,1%, beneficiando em parte do arranque do Canal SIC Mulher, e à recuperação das receitas publicitárias, com mais 2,3%, essencialmente, na televisão e revistas», refere a empresa num comunicado.

O EBITDA, ou «cash flow» operacional, foi positivo em 1,71 milhões de euros, contra um valor negativo pró-forma de 3,65 milhões de euros no primeiro trimestre de 2002. Os prejuízos operacionais baixaram 46,9% para 5,29 milhões de euros.

Custos da Impresa baixam 2%; SIC poupa 1 milhão de euros

A explicar a melhoria dos resultados da Impresa [IPR] está a redução de custos da empresa de media, que baixaram 2% para 53 milhões de euros. Os custos financeiros caíram 29,4%.

Na SIC, o principal activo da empresa, as receitas aumentaram 13,1% para 29,6 milhões de euros, com as receitas de publicidade a crescerem 9,1% e a audiência média a ficar nos 33,8%, menos 1 ponto percentual que no período homólogo.

Com o programa de corte de custos a SIC conseguiu poupar 1 milhão de euros, baixando os custos operacionais em 3%. O EDITDA foi negativo em 0,7 milhões de euros, menos 86,4% que no período homólogo.

Na área de jornais as receitas baixaram 7,2%, mas o EBITDA subiu 69% para 1,1 milhões de euros. Nas revistas as receitas aumentaram 12,6% e o EBITDA caiu 6,1% até aos 1,1 milhões de euros.

O passivo remunerado líquido ficou nos 152,4 milhões de euros, mais 4,6 milhões de euros que no período homólogo.

Impresa mantém estimativa de receitas para 2003

Nas perspectivas para o resto deste ano a Impresa afirma que face aos resultados «favoráveis» do primeiro trimestre, mantém a previsão de obter um crescimento entre 4 a 5% nas receitas deste ano.

«Esta evolução permite-nos reiterar, com mais confiança, que o ano de 2003 será de crescimento, mantendo, assim, a Impresa, os objectivos que estabeleceu para o corrente ano, nomeadamente, um aumento das receitas na ordem dos 4-5% e uma melhoria muito significativa a nível operacional», refere o comunicado da empresa liderada por Pinto Balsemão.

As acções da Impresa seguiam inalteradas nos 1,87 euros

Outras Notícias