Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Impresa regista prejuízos pela primeira vez desde o terceiro trimestre de 2005

A Impresa passou de lucros de um milhão de euros no primeiro trimestre de 2007, a prejuízos de 331 mil euros nos primeiros três meses deste ano, informou a empresa em comunicado à CMVM. Esta foi a primeira vez que a empresa registou prejuízos desde o terc

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 28 de Abril de 2008 às 17:27
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Impresa passou de lucros de um milhão de euros no primeiro trimestre de 2007, a prejuízos de 331 mil euros nos primeiros três meses deste ano, informou a empresa em comunicado à CMVM. Esta foi a primeira vez que a empresa registou prejuízos desde o terceiro trimestre de 2005.

Nessa altura, a Impresa tinha registado prejuízos de 1,4 milhões de euros.

Estes resultados ficaram abaixo das estimativas do Millennium Investiment Banking (IB) que estimava lucros de um milhão de euros para a dona da SIC.

A empresa sublinha que os lucros passaram a prejuízos devido ao aumento de 1,2% dos custos operacionais para os 55,9 milhões de euros.

A Impresa explica que esta esta subida foi consequência do arranque de novos negócios no segundo semestre de 2007 (New Media e DGS) e do aumento dos custos de programação", explica a empresa.

As receitas consolidadas caíram 0,2% para os 61,7 milhões de euros e o EBITDA, ou "cash flow" operacional, deslizou 11,5% para os 5,8 milhões, "penalizado pelo crescimento das novas áreas".

A empresa destaca ainda o aumento das receitas publicitárias, com o "bom comportamento da televisão e da rede de sites do Grupo" e a subida de 13,6% das receitas dos canais temáticos.

A SIC terminou o primeiro trimestre com um total de receitas de 42,2 milhões de euros, o que representa um crescimento de 2,6%. O resultado antes dos impostos foi de 2,9 milhões de euros, menos 32,6% do que em Março de 2007, também devido aos custos.

Em relação aos jornais, as receitas totais desceram 3,5% para os 12,3 milhões de euros. No entanto, a evolução positiva dos custos operacionais (descida de 7,4%), permitiu que o EBITDA subisse 23,3% para 2,3 milhões de euros. Os resultados antes de impostos foram de 2,2 milhões de euros, uma subida de 25,1% em termos homólogos.

Na área das revistas as receitas caíram 19,3% para os 13,3 milhões de euros, influenciadas por encerramento de publicações e, simultaneamente, pelo processo de reestruturação.

A Impresa Digital viu as suas receitas crescerem 152,3% para os 1,3 milhões de euros.

As acções da Impresa [ipr] fecharam a cair 1,27% para 1,55 euros.

Outras Notícias