Empresas Isabel dos Santos sai da Nos e faz promessas na Sonangol

Isabel dos Santos sai da Nos e faz promessas na Sonangol

O objectivo para a Sonangol é o de "aumentar a rentabilidade, a eficácia e a transparência" da empresa, anunciou na segunda-feira Isabel dos Santos, durante a sua tomada de posse como presidente da conselho de administração da petrolífera angolana.
Isabel dos Santos sai da Nos e faz promessas na Sonangol
Ampe Rogério/Novo Jornal
Celso Filipe 06 de junho de 2016 às 22:01
Enquanto em Luanda garantia que a recuperação da empresa passará também por "aumentar as margens de lucro", em Portugal a empresária emitia um comunicado onde anunciava a sua renúncia aos seus cargos de administradora na Nos, Efacec e BIC Português, duas empresas e um banco das quais é accionista.

"A renúncia imediata aos cargos de administradora das sociedades que conduzem os seus principais investimentos em Portugal resulta apenas da nomeação como presidente do conselho de administração da Sonangol e visa, por um lado, evitar problemas de conflito de interesse e, por outro, reforçar as garantias de transparência no desempenho das novas funções", explicou Isabel dos Santos.

Posteriormente, num comunicado da Nos, onde possui uma participação de 25%, Isabel dos Santos reforça a sua aposta na operadora de telecomunicações. Esta saída da administração da empresa "em nada afecta o meu compromisso com a Nos enquanto accionista indirecta e a minha enorme confiança no sucesso desse projecto", garantiu.

Isabel dos Santos, refira-se, controla 65% da Efacec e 42,5% do banco BIC Português, o qual dentro em breve deverá ter como presidente executivo o ex-ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos.

Eficácia e transparência

Após a sua nomeação como presidente do conselho de administração da Sonangol, uma cerimónia que contou com as presenças dos ministros das Finanças e dos Petróleos, Armando Manuel e Botelho Vasconcelos, respectivamente, Isabel dos Santos explicou que o novo modelo para a petrolífera prevê a criação de uma "holding" operacional, outra de apoio e serviços logísticos a função de concessionária do sector petrolífero, onde a meta é "aumentar a rentabilidade, a eficácia e a transparência".

A empresária, que foi nomeada para o lugar pelo Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos que é também seu pai, diz que nos próximos 100 dias irá continuar a fazer o diagnóstico da Sonangol, para perceber melhor os ganhos de eficácia e a eficiência que a empresa pode obter rapidamente". Isabel dos Santos nada disse sobre o BCP, onde a Sonangol tem uma participação de 17,84%. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI