Tecnologias ITSector oferece mais 50 empregos, 15 em Bragança

ITSector oferece mais 50 empregos, 15 em Bragança

A tecnológica especialista no desenvolvimento de “software” orientado para o sector financeiro, que emprega aproximadamente 400 pessoas, vai contratar mais 50 para quatro dos seus cinco centros de competências, dos quais 15 para o pólo de Bragança.
ITSector oferece mais 50 empregos, 15 em Bragança
A tecnológica liderada por Renato Oliveira, com sede no Porto, vai contratar 15 pessoas para o centro de competências de Lisboa, 15 para Bragança, 10 para Aveiro e cinco para Braga.
Paulo Duarte/Negócios
Rui Neves 19 de fevereiro de 2018 às 11:40

Fundada em 2005, na cidade do Porto, a ITSector conta actualmente com aproximadamente quatro centenas de trabalhadores, distribuídos pelos seus cinco centros de competências "nearshore" (prestação de serviços tecnológicos a terceiros a partir de Portugal), instalados na cidade Invicta, Lisboa, Braga, Aveiro e Bragança, e vai avançar para a contratação de mais 50 pessoas até ao Verão.

 

"Estas contratações surgem como necessidade de dar resposta ao aumento de número de vendas e ao crescente número de projectos em carteira que a tecnológica do Porto tem assegurados com clientes nacionais e internacionais oriundos, sobretudo, do sector bancário", explica, em comunicado, esta empresa especialista no desenvolvimento de "software" para o sector financeiro.

 

"Nos próximos meses vamos, seguramente, necessitar de recrutar mais de 50 novos colaboradores. Estamos desde já a avançar no sentido de reforçar as equipas dos centros de tecnologias avançadas que temos no país, através da contratação de 15 novos colaboradores para a unidade de Lisboa, 15 para Bragança, 10 para Aveiro e 5 para Braga", refere Maria Inês Domingues, directora do Departamento de Recursos Humanos da ITSector.

 

Desde perfis juniores a perfis de maior senioridade, a ITSector afirma que precisa de reforçar os seus recursos tecnológicos "com funções ao nível do desenvolvimento e arquitectura de Sistemas de Informação (.Net, Java, Mobile - Hybrid, IOS e Android - analistas, testers, gestores de Projecto) e, também, de perfis mais transversais, altamente especializados no desenvolvimento de negócio e da estratégia, como ‘business developers, designers e marketeers’"

 

A diversidade geográfica na acção de recrutamento em curso é também "o reflexo de uma estratégia que a empresa tem vindo a adoptar nos últimos anos e que pretende descentralizar o desenvolvimento de ‘software’ em Portugal", frisa a IT Sector.

 

"Na área tecnológica, as oportunidades de trabalho concentram-se maioritariamente nos grandes centros urbanos. O facto de, além do Porto e Lisboa, estarmos também presentes em cidades como Bragança, Aveiro e Braga permite-nos contornar essa realidade e dar mais qualidade de vida a muitos dos nossos colaboradores, que assim já não têm que abandonar a sua terra natal para trabalhar nesta área", enfatiza  Gisela Oliveira, responsável do departamento de Recrutamento e Selecção da ITSector.

 

Depois de ter encerrado o exercício de 2017 com uma facturação de 14,4 milhões de euros, a ITSector prevê chegar aos 16 milhões este ano.

 

Com presença física em diversos mercados externos europeus e africanos - Polónia, Reino Unido, Alemanha, Angola, Moçambique e no Quénia - a ITSector garante que implementou, ao longo do último ano, mais de 200 projectos internacionais, em países como Inglaterra, França, Luxemburgo, Espanha, Itália, Rússia, Islândia, Dinamarca, Timor-Leste e África do Sul.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 25.02.2018

600euros? nao acredito :(

Anónimo 19.02.2018

A pagar 600€ não enganam ninguém.

Johnny 19.02.2018

Um gajo que queimou a cabecinha toda a apender JAVA de trás para a frente e depois oferecem 650 euros... hahahahha

lol Outros? 19.02.2018

E pagam 600 paus? Temos pena

pub