Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

João Salgueiro: "O custo [do caso BES] não foi muito elevado. Até foi baixo"

O ex-vice governador do banco de Portugal e ex-presidente da CGD, João Salgueiro, desvaloriza os efeitos do caso BES. “O custo não foi muito elevado. Até foi baixo”, defende.

João Carlos Malta joaomalta@negocios.pt 18 de Julho de 2014 às 13:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • 24
  • ...

"Os mercados reagiram bem nestes primeiros dias. Houve quedas na bolsa mas isso é normal. Foi possível uma emissão. O custo não foi muito elevado. Até foi baixo. Os indicadores são bons. Tudo vai depender do que conseguimos fazer no essencial: restabelecer a confiança no banco e quais as medidas que vão ser tomadas e pôr o País a crescer porque sem crescimento não há empregos para ninguém", disse ao Negócios, João Salgueiro, esta quarta-feira, à margem da entrega dos prémios Best Ethical Awards 2014, um evento organizado pelo Negócios e Capgemini.

 

Mas conhecendo tão bem a família Espírito Santos devido aos cargos por que passou era expectável que isto sucedesse? "Não conheço bem. Também não esperava que o país chegasse ao estado de endividamento a que chegou. Ultrapassa tudo o que podemos imaginar", respondeu

 

Mas não o espantou? "Espanta-me também o que aconteceu no Espírito Santo. Mas o que se passou revela um modo bem português de agir; convivemos com os problemas que são agravantes do futuro só pensando no imediato", confessa.

 

Sobre o efeito sistémico desta situação, crítica os apocalípticos: "Somos provincianos se pensamos que a queda de um banco pode criar problemas ao País. Só cria se nos deixarmos apanhar. Não vejo nenhuma razão para isso acontecer", remata.

Ver comentários
Saber mais BES João Salgueiro
Outras Notícias