Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Juventus arrisca furar fair play financeiro da UEFA com contratação de CR7

Os mais 100 milhões de euros despendidos na contratação de Cristiano Ronaldo ao Real Madrid fazem com que a Juventus deva incumprir a nova regra do fair play financeiro da UEFA, revela o jornal Il Sole 24 Ore.

Massimo Pinca/Reuters
David Santiago dsantiago@negocios.pt 18 de Setembro de 2018 às 12:48

A contratação de Cristiano Ronaldo faz com que a Juventus tenha quebrado a mais recente regra do fair play da UEFA que entra em vigor a partir da época desportiva 2018-2019 e que diz respeito ao balanço financeiro ao longo de uma época.

De acordo com os cálculos realizados pelo jornal transalpino especializado em assuntos económicos Il Sole 24 Ore, a "Vechia Signora" registou um saldo negativo entre compras e vendas de jogadores (comissões e outras despesas relacionadas com transferências incluídas) de 162,8 milhões de euros, o que supera o novo limite de 100 milhões de euros imposto pela UEFA para o "prejuízo" numa janela de transferências.

Tendo em conta que a nova regra é calculada em função de uma época – o que significa que contempla duas janelas de transferências, Verão e Inverno –, a Juventus pode ainda inverter a situação com vendas no natal. Para o conseguir teria de conseguir encaixar em torno de 63 milhões de euros no próximo período de transferências, mas tal é improvável tendo em conta as aspirações da equipa transalpina que aponta à conquista da Liga dos Campeões.   

Aos 112 milhões de euros gastos na compra dos direitos desportivos de CR7 somam-se os valores gastos na aquisição do também português João Cancelo e do brasileiro Douglas Costa, o que eleva para 185 milhões de euros o total despendido pela equipa detida pela família Agnelli na última janela de transferências.

Do lado das vendas registam-se somente os 18 milhões de euros pagos pelo AC Milan pelo empréstimo do avançado argentino Higuain (que há dois anos foi adquirido por 90 milhões de euros ao Nápoles). A isto deve ainda acrescentar-se que, segundo noticiou o Corriere dello Sport, no âmbito desta operação a Juventus pagou 1 milhão de euros líquidos a Higuain, o que representou uma despesa de quase 2 milhões ao clube de Turim, uma soma não revelada aquando do acordo com o Milan.

No entanto, não se conhecem os procedimentos que poderão ser levados a cabo pela UEFA em caso de incumprimento por parte da Juventus, dado que se trata de uma nova regra.

No início do mês, a sociedade transalpina divulgou as contas mais recentes, mostrando que a partir de 1 de Janeiro se regista um prejuízo de 62,2 milhões de euros, um resultado bem pior do que no período homólogo (-26,6 milhões de euros). Em sentido inverso prossegue a capitalização bolsista do clube de Turim que mais do que duplicou desde a contratação da estrela madeirense. 

Ver comentários
Saber mais Cristiano Ronaldo Juventus Liga dos Campeões UEFA AC Milan
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio