Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Liderança das audiências no Natal "neutral a positiva" para a Impresa

O BPI considera "neutral a positiva" para a Impresa a notícia de que a SIC liderou as audiências televisivas no período de Natal. O banco de investimento destaca, no entanto, que apesar de ser um sinal positivo não tem o mesmo impacto que uma melhoria em dias normais. Também as acções beneficiam desta notícia e chegaram já a apreciar mais de 6%.

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 29 de Dezembro de 2008 às 11:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
O BPI considera “neutral a positiva” para a Impresa a notícia de que a SIC liderou as audiências televisivas no período de Natal. O banco de investimento destaca, no entanto, que apesar de ser um sinal positivo não tem o mesmo impacto que uma melhoria em dias normais. Também as acções beneficiam desta notícia e chegaram já a apreciar mais de 6%.

O “Correio da Manhã” avança na sua edição de hoje que a SIC, da Impresa, liderou as audiências de Natal recolhendo 29,8% e 32,2% das audiências a 24 e 25 de Dezembro, respectivamente, seguiu-se a TVI com 29,3% e 30,4% de “share” enquanto a RTP1 alcançou 23,1% e 20,4% naqueles dois dias.

O analista do BPI, Tiago Veiga Anjos, vê esta notícia como “neutral a positiva” para a empresa liderara por Pinto Balsemão, frisando que as audiências de Natal são “fortemente influenciadas” pelos filmes que cada canal transmite.

“Como tal, apesar disto ser certamente um sinal positivo não tem o mesmo impacto que uma melhoria em dias de semana normais”, acrescenta o mesmo analista. Contudo, o BPI frisa que este resultado somado a uma ligeira melhoria em dias de semana regulares deve permitir à SIC fechar o mês de Dezembro com um “share” próximo dos 25%, o que compara com os 23,8% registados em Novembro.

Quanto à TVI, embora tenha sido ultrapassada pela SIC durante o período de Natal, as suas audiências não estiveram longe do seu “share” médio diário, que se encontra próximo dos 30%.
O BPI tem uma recomendação de “manter” para a Impresa a cujas acções atribui um preço-alvo de 0,90 euros.

As acções da Impresa seguiam a valorizar 3,90% para os 0,80 euros, depois de já terem chegado a subir 6,49%.



Ver comentários
Outras Notícias