Telecomunicações Lucros da Sonaecom afundam 52,7% para 22,8 milhões

Lucros da Sonaecom afundam 52,7% para 22,8 milhões

A Sonaecom teve uma redução de 52,7% nos lucros de 2017, para 22,8 milhões, anunciou a empresa.
Lucros da Sonaecom afundam 52,7% para 22,8 milhões
Pedro Elias/Negócios
A Sonaecom teve uma queda nos seus lucros de 2017 de 52,7% para 22,8 milhões de euros, anunciou a empresa.

Isto apesar dos resultados antes de impostos terem sido revertidos, de um valor negativo de 2,8 milhões de euros para valores positivos de 16,8 milhões de euros. 

A Sonaecom justifica que o resultado foi penalizado pelos ajustamentos ao justo valor de alguns dos seus activos integrados, como os fundos Armilar.

A empresa vai assim propor a distribuição de metade desses resultados sob a forma de dividendo

O volume de negócios do grupo Sonaecom, que tem a participação indirecta da Nos (através da Zopt) um dos principais activos, subiu 6,9% para 139,6 milhões de euros. Os custos operacionais subiram 8,1% para 141,9 milhões. Com isso, o EBITDA aumentou 52,3% para 27,3 milhões de euros. 

Os resultados operacionais (EBIT) deram um salto de 2,5 para 17,8 milhões de euros e os resultados financeiros passaram de um valor negativo de 5,3 milhões de euros em 2016 para -1 milhão de euros no ano passado.

 

A condicionar o lucro esteve a evolução dos resultados indirectos, que passaram de um valor positivo de 28,5 milhões de euros em 2016 para apenas 6,8 milhões de euros no ano passado. Em comunicado a Sonaecom explica que esta variação está relacionada com os "Fundos Armilar e os ajustamentos ao justo valor em alguns dos seus activos". Estes fundos Armilar foram comprados em 2016 ao Novo Banco e permitiram à Sonaecom entrar em empresas tecnológicas como a Outsystems e Feedzai.

 

Os resultados de 2016 também foram impulsionados pelo efeito fiscal, já que a rubrica impostos desse ano foi positiva em 22,2 milhões de euros (em vez de um valor negativo que significa pagamento) que a empresa liderada por Ângelo Paupério explica com a liquidação de duas subsidiárias na Holanda - a Sonaecom BV e a Sonaetelecom BV.

 

Além desta área de telecomunicações através da Nos, a Sonaecom tem uma componente grande nas tecnologias, com participações na WeDo, Saphety, S21Sec, Bizdirect, InovRetail, Britght Pixel, Stylesage. Nesta unidade de negócio as receitas cresceram 7,9%, abaixo dos custos operacionais (+8,9%), sendo que o EBITDA estabilizou em 4,7 milhões de euros.

 

Os media são a terceira área de negócio da Sonaecom, através do jornal Público. Nesta área as receitas aumentaram 0,3% e o EBITDA melhorou 11%, embora permaneça em valores negativos (no comunicado a Sonaecom não revela o valor).

(Notícia actualizada às 18:25 com mais informação)



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 12.03.2018

O melhor é vender essa coisa a espanhois e/ou franceses e passa a chamar-se Sonae.avec. Ficamos livres disso e a família do defunto vai viver com muitos milhões e livrar-se dos ladrões.

Saber mais e Alertas
pub