Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lucros da Accor caem 37% em 2003

Os lucros da Accor, a maior empresa hoteleira europeia que em Portugal actua em parceria com o grupo Amorim, caíram 37% para os 270 milhões de euros, em 2003, ficando ligeiramente abaixo das estimativas.

Ana Filipa Rego arego@negocios.pt 03 de Março de 2004 às 16:08
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os lucros da Accor, a maior empresa hoteleira europeia que em Portugal actua em parceria com o grupo Amorim, caíram 37% para os 270 milhões de euros, em 2003, ficando ligeiramente abaixo das estimativas, de 273 milhões de euros, dos analistas consultados pela Bloomberg.

As vendas baixaram 4,3% para os 6,8 mil milhões de euros face ao ano anterior. Os lucros antes dos impostos caíram para os 523 milhões de euros, contra os 703 milhões de euros de 2002.

A Accor tem uma parceria com o grupo Amorim para os mercados de Portugal e de Cuba. No território português o grupo liderado por Américo Amorim tem o exclusivo das marcas da maior cadeia hoteleira da Europa.

O número de pessoas a visitar outros países caiu 1,2% – valor recorde – para os 694 milhões em 2003, uma vez que a guerra no Iraque e a pneumonia atípica levaram as pessoas a ficar em casa, disse recentemente a Organização Mundial de Turismo (OMT). A mesma organização acredita contudo que a recuperação do sector teve início já no segundo semestre do ano passado.

«Acontecimentos geopolíticos, abrandamento económico e a agitação nos mercados cambiais, tornaram 2003 um ano excepcionalmente difícil para as viagens e serviços industriais», disse a Accor em comunicado, citada pela Bloomberg.

O presidente da empresa francesa, Jean-Marc Espalioux, adiantou hoje aos jornalistas em Paris que «2004 vai ser melhor que 2003», embora a empresa ainda tenha que dar sinais «muito positivos» de recuperação.

Com a economia dos Estados Unidos da América (EUA) posicionada para crescer ao ritmo mais rápido das últimas duas décadas e com o fim da guerra no Iraque, Espalioux defendeu que vai procurar reduzir ainda mais os custos para ajudar a Accor a retirar vantagens da recuperação.

A Accor disse também que reduziu os custos operacionais em 29 milhões de euros, no ano passado, e tem como objectivo um corte de mais 50 milhões de euros em 2004. Em 2005, o presidente da hoteleira francesa espera reduzir outros 70 milhões de despesas.

No segundo semestre de 2003 os lucros da Accor caíram 21%, uma vez que a valorização do euro e a estagnação do crescimento económico prejudicaram a procura por alojamento em hotéis na França e na Alemanha.

Os resultados líquidos da empresa hoteleira francesa, baixaram para os 164 milhões de euros no segundo trimestre de 2003, contra os 209 milhões de euros do período homólogo do ano anterior, segundo cálculos da Bloomberg.

As receitas por quarto da Accor registaram uma quebra de 3%, na França e na Alemanha, enquanto nos EUA o ganho foi de quase 6% e no Reino Unido de 6,8%, no segundo semestre do ano passado. No comunicado hoje enviado ao mercado a companhia não faz referência a Portugal.

As acções da Accor seguiam a subir 2,87% para os 35,9 euros.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias