Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lucros da Brisa descem mais de 30% no primeiro trimestre (act.)

Os lucros da Brisa caíram 31% no primeiro trimestre, uma evolução que a empresa justifica com uma menos-valia de 9,1 milhões de euros resultante da venda da participação na EDP e com um menor volume de receitas de portagem que desceram 4% no período em an

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 28 de Abril de 2006 às 17:21
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os lucros da Brisa caíram 31% no primeiro trimestre, uma evolução que a empresa justifica com uma menos-valia de 9,1 milhões de euros resultante da venda da participação na EDP e com um menor volume de receitas de portagem que desceram 4% no período em análise.

O resultado líquido da concessionária de auto-estradas recuou para os 27,6 milhões de euros, o que compara com os 40,0 milhões de euros verificados em período homólogo. Estes números comparam com os 33,34 milhões de euros estimados pelos analistas consultados pela Reuters.

A Brisa salienta que «os resultados estão em linha com o orçamento e com as estimativas dadas ao mercado financeiro no início do ano», de acordo com o comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A concessionária de auto-estradas explica que «para o decréscimo dos resultados líquidos da ordem dos 12,4 milhões de euros, salienta-se a menos-valia de 9,1 milhões de euros resultante da venda da participação da Brisa na EDP», uma posição de 2% alienada em Fevereiro.

Outra justificação para a queda dos resultados prende-se com «um menor volume de recitas de tráfego», com uma descida de 4,9% face ao primeiro trimestre de 2005.

As receitas de portagem caíram 4% para os 111,6 milhões de euros, uma evolução que a Brisa justifica com «os impactos negativos no tráfego médio diário, do abrandamento da economia portuguesa, do crescimento do preço dos combustíveis, bem como do efeito da perda de tráfego registada na rede da Brisa devido à auto-estrada sem portagem da Costa de Prata».

A Brisa refere ainda o facto da Páscoa não ter ocorrido no primeiro trimestre também influenciou a evolução das receitas, mas diz que «este efeito será, no entanto recuperado durante o segundo trimestre do ano».

As receitas operacionais atingiram os 128,4 milhões de euros, o que representa uma descida de 2%.

Do lado dos custos destaca-se o aumento de 13,2% dos custos operacionais totalizando os 39,0 milhões de euros, com 2,2 milhões de euros a corresponder «a indemnizações pagas por rescisões contratuais por mútuo acordo», segundo a Brisa.

Ainda de referir que os resultados do primeiro trimestre deste ano já incorporam a integração da ITEUVE Portugal, que só começou a ser considerada nas contas da Brisa a partir de Julho.

A Brisa refere ainda que «o volume de investimentos na rede de auto-estradas no primeiro trimestre de 2006 foi de 52,2 milhões de euros», o que compara com os 49,0 milhões de euros investidos no ano passado. O investimento total ascendeu os 93 milhões de euros.

O EBITDA da empresa caiu 7,1% para os 89,3 milhões de euros.

As acções da Brisa [brisa] encerraram a cair 1,53% para os 8,34 euros.

Outras Notícias