Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lucros da Microsoft caem e crescimento das vendas abranda

A Microsoft anunciou ontem que os resultados líquidos do primeiro trimestre fiscal desceram, pelo facto de a empresa ter começado a tratar as «stock options» como despesas. As vendas registaram o menor crescimento desde 2000.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 24 de Outubro de 2003 às 08:07
  • Partilhar artigo
  • ...

A Microsoft anunciou ontem que os resultados líquidos do primeiro trimestre fiscal desceram, pelo facto de a empresa ter começado a tratar as «stock options» como despesas. As vendas registaram o menor crescimento desde 2000.

Nos três meses terminados em Setembro a Microsoft [MSFT UQ] teve um lucro de 2,61 mil milhões de dólares (2,21 mil milhões de euros), ou 24 cêntimos por acção.

As receitas da empresa aumentaram 6,1% para 8,22 mil milhões de dólares (6,98 mil milhões de euros), na menor subida desde o trimestre terminado em Junho de 2000. A penalizar teve o crescimento de apenas 1% nas vendas do sistema operativo «Windows», o principal produto da empresa.

A contabilização das «stock options» como despesas reduziu o lucro por acção em seis cêntimos, anunciou ontem a empresa.

O facto mais negativo a acompanhar os resultados da empresa de Bill Gates foi o facto de a Microsoft ter reconhecido que sobrevalorizou as receitas com novos contratos, pelo facto de os seus vendedores terem dado prioridade à ajuda aos clientes na detecção de vírus.

A Microsfot regista no seu balança o valor de receitas que estima obter com a assinatura de novos contratos e este valor - conhecido como receita não ganha - ficou muito abaixo do previsto.

Assim, as acções da Microsoft desceram um máximo de 5% depois de conhecidos os resultados e arrastavam os futuros sobre os índices accionistas americanos. O futuro sobre o Nasdaq caia 0,76% e as Bolsas europeias devem abrir em queda.

As boas notícias vieram nas previsões de resultados para o ano fiscal que iniciou em Julho. A empresa aumentou a previsão de lucros por acção – de 86 a 88 cêntimos contra os 85 a 87 cêntimos anteriores – devido ao crescimento na procura de computadores e servidores.

No presente trimestre as receitas também vão ser superiores ao esperado pelos analistas e o EPS vai oscilar entre 23 a 24 cêntimos.

Outras Notícias