Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lucros do BPN crescem 47,5% em 2001

Os lucros do Grupo Banco Português de Negócios (BPN) aumentaram 47,5% no ano passado, enquanto os resultados líquidos da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), «holding» que controla o banco, subiram 53,94%, anunciou a SLN.

João Mata 25 de Março de 2002 às 12:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Os lucros do Grupo Banco Português de Negócios (BPN) aumentaram 47,5% no ano passado, enquanto os resultados líquidos da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), «holding» que controla o banco, subiram 53,94%, anunciou a SLN.

O BPN, que detém a actividade seguradora e financeira do grupo, atingiu lucros de 26,72 milhões de euros em 2001, enquanto a SLN obteve lucros de 45,07 milhões de euros, segundo a mesma fonte.

Na área financeira, «todos os indicadores revelam uma progressão harmoniosa, não obstante o esforço financeiro com o investimento de expansão, quer no alargamento da rede de agências, quer na modernização tecnológica».

Em 2001, o BPN abiu 32 novas agências, com a rede do banco a totalizar 115 agências, das quais duas na região de Paris, em França.

Os recursos totais de clientes aumentaram 35,7%, com o segmento de gestão de activos a apresentar um incremento homólogo de 54,2%. O crédito concedido aumentou 36,6%, enquanto o crédito mal parado «regrediu para valores abaixo de 1%».

A sociedade não avançou os valores absolutos relativos a estes dados, limitando-se a avançar a variação percentual.

Na área seguradora, a empresa sublinhou que «os prémios de seguros vida aumentaram 59,6% e os seguros não vida 26,5%», também sem fornecer mais valores.

Relativamente à área não financeira da SLN, a companhia sublinhou que «registaram-se resultados muito significativos, com destaque para a SLN Novas Tecnologias, com resultados líquidos de 2,34 milhões de euros, a que corresponde um return-on-investment (ROI) de 22,8%».

A área não financeira da SLN engloba, para além das novas tecnologias, os activos da «holding» nos sectores do turismo, serviços de saúde, agro-alimentar e distribuição automóvel.

Ver comentários
Outras Notícias