Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Macedo só entra na Caixa depois de 10 de Janeiro

As férias de Natal e Ano Novo atrasaram o processo de registo e avaliação da nova administração da Caixa. A resposta do BCE não chega antes de 10 de Janeiro. A primeira parte da capitalização da Caixa avança a 4 de Janeiro.

Correio da Manhã
  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...
A nova administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) não toma posse antes de 10 de Janeiro do próximo ano. As férias de Natal e Ano Novo atrasaram o processo de avaliação do Banco Central Europeu (BCE), sabe o Negócios. A demora das instituições europeias pode deixar em aberto um problema de liderança no banco público.

Os nomes da nova equipa da Caixa liderada por Paulo Macedo foram remetidos ao BCE a 19 de Dezembro. Mas o Negócios sabe que o processo de registo e posse da futura administração ainda não foi concluído e não deverá acontecer antes de 10 de Janeiro. Este prazo está a ser visto como o melhor dos cenários.

Na origem da demora está o período de férias de Natal e de Ano Novo que congelou a avaliação do processo, que será retomado no início de Janeiro, o que atira a final da decisão para meados do mês. 

Este atraso implica que o Governo avance com uma solução transitória para a gestão da Caixa. Tal como o Negócios avançou, o Executivo não exclui a possibilidade de António Domingues ter de ficar mais uns dias. No entanto, o líder demissionário da CGD está a contar deixar o banco no prazo previsto e até já se despediu dos trabalhadores da instituição.

 

Por outro lado, a partir de 1 de Janeiro, mantêm-se em funções quatro administradores, três executivos – João Tudela Martins, Tiago Ravara Marques e Pedro Leitão – e um não executivo (Rui Vilar) que, no limite, poderão assegurar a transição entre a equipa de Domingues e a administração liderada por Paulo Macedo.


O primeiro-ministro, António Costa, defendeu urgência na escolha de uma nova administração para a Caixa na sequência da demissão de António Domingues, a 25 de Novembro, a que se juntaram seis administradores. 

A 27 de Novembro o Ministério das Finanças comunicou a demissão do presidente da Caixa, assegurando que Domingues ficaria no banco até final de Dezembro, tal como a lei prevê.

Com o adiamento da entrada da nova administração fica por saber qual será a solução para evitar a falta de quórum no banco público.
  
Primeira parte da capitalização da CGD avança a 4 de Janeiro

A primeira fase da capitalização da Caixa vai acontecer a 4 de Janeiro, sabe o Negócios. Em causa está a conversão de CoCo's, no valor de 900 milhões de euros, e o reforço de capital por capital por integração dos 49% da Parcaixa. Este conjunto de operações vale 1.460 milhões de euros.

O resto do aumento de capital, que passa pela injecção pública de 2,7 mil milhões de euros e pela emissão de obrigações no valor de mil milhões de euros, ficam para depois de fechadas as contas de 2016.
Ver comentários
Saber mais Caixa Geral de Depósitos CGD BCE Paulo Macedo Negócios António Domingues António Costa Ministério das Finanças economia negócios e finanças política
Outras Notícias