Energia Mais de metade dos clientes que simularam com a ERSE encontraram tarifários de energia mais baratos

Mais de metade dos clientes que simularam com a ERSE encontraram tarifários de energia mais baratos

O regulador da energia, a ERSE, revela que entre os consumidores que aderiram à simulação online para avaliar o tarifário de energia mais económico, quase 60% descobriram uma alternativa mais barata, e a maioria disse pretender mudar.
Mais de metade dos clientes que simularam com a ERSE encontraram tarifários de energia mais baratos
ANTÓNIO COTRIM/LUSA
Ana Batalha Oliveira 14 de janeiro de 2019 às 11:45

Dos cerca de um milhão de portugueses que fizeram uma simulação dos preços de energia através da ferramenta online da ERSE, mais de metade encontraram preços mais baixos face ao seu contrato atual, informa o regulador em comunicado.

O simulador de energia da ERSE, que nasceu no passado dia 29 de maio como forma de assinalar o dia Mundial da Energia, registou 963 029 simulações até ao final do ano passado.

 

Entre estes clientes, 58% descobriu um tarifário mais económico do que o que tinha contratualizado na hora da simulação. Face a esta descoberta, foram 82% aqueles que manifestaram a intenção de mudar de comercializador.

 

De acordo com a entidade liderada por Cristina Portugal (na foto), os preços para um contrato com as mesmas características – de uma potência contratada de 3,45 kVA e um consumo anual de 1 900 kWh -  pode oscilar entre uma fatura de 36,36 euros por mês e outra de 54 euros mensais. Isto, sem contar com as ofertas que incluem serviços adicionais obrigatórios.

 

O simulador de preços de energia da ERSE apresenta todas as ofertas comerciais de 23 comercializadores na eletricidade e de 8 comercializadores no gás natural, reunindo informação relativa a mais de 317 tarifários, permitindo aos consumidores estarem informados sobre a existência de ofertas comerciais mais vantajosas.

 

O regulador sublinha que, tendo em conta as recentes alterações em vários tarifários, este tipo de avaliação se torna " particularmente importante" para que os consumidores possam perceber qual a situação mais benéfica.




pub