Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Mais de 65% dos utlizadores de internet utlizam este meio para procurar alojamento

A Internet tem um papel incontornável na promoção e distribuição da hotelaria e é vista pelos empresários do ramo como uma ferramenta de vendas indispensável à medida que a procura dos consumidores aumenta através deste meio. Um estudo da Unicre revela qu

Paulo Moutinho 23 de Agosto de 2005 às 13:25
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Internet tem um papel incontornável na promoção e distribuição da hotelaria e é vista pelos empresários do ramo como uma ferramenta de vendas indispensável à medida que a procura dos consumidores aumenta através deste meio. Um estudo da Unicre revela que 65,3% dos turistas que utilizam a internet procuram alojamento em unidades hoteleiras através deste meio.

O estudo da Unicre (cartão de crédito internacional), resultado de um inquérito realizado junto de uma amostra de clientes de hotéis de Lisboa, Porto e Algarve e realizado pela empresa Vector 21, revela que cada vez mais os clientes procuram alojamento através da Internet, recorrendo às agências de viagens on-line e a outros operadores na rede.

Dos clientes inquiridos e que se afirmaram utilizadores da Internet (78,6% do total), 54,8% revelaram ter tomado conhecimento através da web do hotel onde estavam hospedados e, destes, 44,8% fizeram a reserva on-line.

Mais de 65% dos clientes que utilizam a rede procuram alojamento na Internet, essencialmente através de portais de promoção turística, sendo a informação sobre os preços, a descrição das instalações e a informação sobre a região onde se inserem factores que valorizam o «site» onde é feita a pesquisa.

Neste estudo fica patente a necessidade dos sítios das agências de viagens disponibilizarem a informação sobre as unidades hoteleiras em mais línguas, uma vez que apenas 26% dos sites portuguesas apresenta a língua inglesa como alternativa. Este factor assume maior importância, tendo em conta que mais de 85% dos inquiridos eram clientes estrangeiros.

Na gestão hoteleira, este estudo revela que são necessários planos estratégicos para lidar com a intensificação das reservas on-line, que alteram de forma significativa o planeamento das taxas de ocupação.

É ainda necessário rever os modelos de «pricing», uma vez que com a utilização da Internet há tendência para que o consumidor/internauta efectue uma maior comparação entre os preços das várias ofertas hoteleiras.

As companhias aéreas de «low cost» têm contribuído para esta nova tendência de mercado, provocando uma revolução no sector que rompe com os modelos de venda de viagens, uma vez que as reservas são feitas exclusivamente via Internet.

No segmento empresarial, «os homens de negócios pretendem o recurso à Internet, onde podem fazer as reservas directamente, e este nicho viaja o ano todo e tem necessidades muito específicas».

As agências de viagens tradicionais têm, num futuro próximo, a importante tarefa de modernização dos seus negócios, através da adaptação ao negócio on-line. No entanto, continuarão a ter o importante papel de consultores de viagens, papel extremamente dependente da qualidade do relacionamento humano e da partilha de experiências entre quem vende e quem compra uma viagem.

Outras Notícias