Media Marcelo pede propostas às associações de imprensa e soluções rápidas para os media

Marcelo pede propostas às associações de imprensa e soluções rápidas para os media

Segundo o Presidente da República, face à situação económica e financeira dos órgãos comunicação social em Portugal, é também tempo de "refazer debates", que devem ser "debates mais amplos e mais profundos, e que envolvam a comunidade".
Marcelo pede propostas às associações de imprensa e soluções rápidas para os media
Pedro Catarino
Lusa 27 de novembro de 2019 às 07:43
Na cerimónia de entrega dos Prémios Gazeta 2018, num hotel em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que "seria imperdoável que a democracia, que tanto tempo levou a criar, pudesse sofrer na sua afirmação cívica, social, comunitária, pela incúria no domínio da comunicação social".

"Agora que o ciclo é outro e está a começar é tempo de incentivarmos as associações de imprensa a reapresentarem as suas propostas ao parlamento. Têm-no feito ano após ano. É esta a ocasião, antes da entrada do Orçamento do Estado e antes do início do debate parlamentar, de regressarem à teimosia dos anos anteriores", disse.

O chefe de Estado acrescentou que "é tempo de se procurar soluções que garantam a liberdade e a democracia, fortalecendo a comunicação social, a clássica e a nova, todas", com medidas "de incentivo geral e abstrato, e por isso insuscetíveis de manipulação do poder político, e com aprovação parlamentar, mas que cheguem a tempo".

Segundo o Presidente da República, face à situação económica e financeira dos órgãos comunicação social em Portugal, é também tempo de "refazer debates", que devem ser "debates mais amplos e mais profundos, e que envolvam a comunidade".

"Os portugueses têm de perceber que isto toca, de facto, no essencial da democracia portuguesa", prosseguiu Marcelo Rebelo de Sousa, defendendo que a democracia não pode ser dada por adquirida e tem de ser construída diariamente, caso contrário "criam-se vazios" ocupados por quem é antidemocrático, contra a liberdade e o pluralismo.

O chefe de Estado terminou a sua intervenção manifestando a certeza de que "enquanto durar a coragem do Clube de Jornalistas e a coragem daqueles que se apaixonam pelo jornalismo, que se apaixonam por essa missão cívica, a democracia não morrerá em Portugal".

Os Prémios Gazeta são uma iniciativa do Clube de Jornalistas, patrocinada pelo Santander e pela Galp. Nesta cerimónia, em que esteve presente o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, o cartunista António recebeu o prémio Gazeta de Mérito, pela sua carreira de 45 anos.

Foram também distinguidos os jornalistas Victor Bandarra, da TVI, e Ana Luísa Rodrigues, da RTP (Televisão), Virgílio Azevedo, do Expresso (Imprensa), Mário Rui Cardoso, da Antena 1 (Rádio), Diogo Cardoso e Sofia da Palma Rodrigues, do projeto digital Divergente (Multimédia), Paulo Novais, da agência Lusa (Fotografia) e Ricardo Esteves Ribeiro, do projeto digital Fumaça (Revelação) e o jornal Notícias de Gouveia (Imprensa Regional).



pub

Marketing Automation certified by E-GOI