Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Mercado especula sobre comprador desconhecido da Yukos

O mercado petrolífero foi surpreendido hoje pela notícia da venda da principal subsidiária da Yukos a uma empresa totalmente desconhecida, a Baikalfinansgrup, que terá sido registada legalmente há apenas quatro dias.

Ruben Bicho rbicho@mediafin.pt 20 de Dezembro de 2004 às 16:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O mercado petrolífero foi surpreendido hoje pela notícia da venda da principal subsidiária da Yukos a uma empresa totalmente desconhecida, a Baikalfinansgrup, que terá sido registada legalmente há apenas quatro dias.

O jornal russo «Kommersant» já apelidou de «escândalo» o processo de leilão da Yuganskneftegaz, principal subsidiária da Yukos, que foi vendida em leilão por 9,3 mil milhões de dólares como forma de cobrar as dívidas fiscais da petrolífera russa.

A polémica está centrada no facto do vencedor do leilão ser uma entidade sem actividade económica conhecida, que se julga poder ser detida pela empresa controlada pelo Estado russo, Gazprom.

Isto porque a Gazpromneft, divisão de petróleo da Gazprom que o mercado antecipava como vencedora do leilão, poderia enfrentar problemas legais após a compra, já que os administradores da Yukos tinham colocado um processo num Tribunal dos EUA que impedia a compra da sua subsidiária por parte das empresas que inicialmente tinham demonstrado interesse no leilão.

A Baikalfinansgrup não faz parte do lote de empresas sob alçada da ordem judicial, pelo que não deverá ter problemas legais com o negócio. A Gazprom, que foi a única empresa que concorreu com a Baikalfinansgrup no leilão, acabando por não apresentar qualquer proposta após a oferta inicial, já afirmou não ter qualquer ligação a esta entidade.

As dúvidas sobre a empresa surgem mesmo por parte das autoridades russas, que revelaram ter sido surpreendidas pelo desfecho da operação. «Foi uma surpresa para nós como foi para vocês. Só posso dizer que não sabemos nada sobre esta empresa», afirmou aos jornalistas Yuri Petrov, director do Fundo Federal de Propriedades da Rússia.

Nos seus documentos, a Baikalfinansgrup apresenta a sede na cidade de Tver, mas o jornal «Vremya Novostei» revela que este endereço corresponde a um «snack-bar» e acrescenta que a empresa foi registada legalmente no dia 15 de Dezembro.

A especulação sobre este leilão dá lugar a várias teorias, mas quase todas acabam envolvendo o Estado russo. O jornal «Vedomosti» cita uma fonte da Gazprom que refere que a Baikalfinansgrup é controlada pela Surgutneftegaz – empresa com fortes ligações ao Kremlin – que poderá agora tentar revender a subsidiária da Yukos.

Outras Notícias