Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Millennium bcp reinicia cobertura do BES com recomendação de «reduzir»

O Millennium bcp investimento reiniciou a cobertura das acções do Banco Espírito Santo com uma recomendação de «reduzir, médio risco» e um preço-alvo de 12,5 euros, que representa um potencial de desvalorização de 3% para as acções do banco liderado por R

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 17 de Junho de 2005 às 10:25

O Millennium bcp investimento reiniciou a cobertura das acções do Banco Espírito Santo com uma recomendação de «reduzir, médio risco» e um preço-alvo de 12,5 euros, que representa um potencial de desvalorização de 3% para as acções do banco liderado por Ricardo Salgado.

Num «research» com data de ontem, o analista Pedro Mendes diz que o BES «deve enfrentar um ambiente económico duro nos próximos anos» e que face à situação económica do país, o crescimento das receitas do banco devem enfrentar constrangimentos nos próximos anos.

Com um ambiente económico negativo e baixas taxas de juro, o Millennium bcp investimento diz que as perspectivas para as receitas «não são brilhantes» e que as margens devem continuar pressionadas, tendo em conta o aumento da concorrência.

Por isso, o Millennium bcp investimento afirma que é agora cada vez mais importante o BES escolher uma estratégia de crescimento selectiva, tendo também «consciência que a evolução dos custos deve ser adoptada para incorporar o facto de que a evolução das receitas pode não reflectir os esforços para aumentar as receitas».

Outro dos factores a pressionar o BES resulta nos baixos rácios de capital, devido sobretudo às alterações das regras contabilísticas. Com as IAS/IFRS, a estrutura de capitais do banco liderado por Ricardo Salgado é agora mais volátil, devido à exposição relevante do banco ao mercado de acções, directamente e através de fundos de pensões.

Assim, Pedro Mendes aconselha a que o capital do BES seja gerido com cautela, de modo a evitar uma degradação dos rácios de capital.

Ainda em relação às novas regras contabilísticas, o Millennium salienta que a percentagem de acções preferenciais no rácio Tier I é muito elevado (25%) e que a transição para as IAS vão consumir uma parte substancial dos lucros retidos nos próximos anos (380 milhões de euros até 2007).

O Millennium estima que o Tier I fique perto dos 5% nos próximos anos, assumindo que o banco não vai tomar medidas adicionais para melhorar os rácios de capital.

No próximo ano os lucros do BES deverão aumentar para 339 milhões de euros, ficando nos 365 milhões de euros em 2007 e 376 milhões de euros em 2008. O crescimento da margem financeira será de 0,3% este ano, 3,9% em 2006 e 5,5% em 2007.

As acções do BES seguiam a descer 0,08% para os 12,85 euros.

Outras Notícias
Publicidade
C•Studio