Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Ministro Economia garante que reestruturação energética vai respeitar minoritários

O modelo de reestruturação para o sector energético nacional, que será apresentado por João Talone até 31 de Março, vai respeitar os interesses dos outros accionistas e do mercado, garantiu Carlos Tavares, ministro da Economia.

Bárbara Leite 27 de Março de 2003 às 18:59
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O modelo de reestruturação para o sector energético nacional, que será apresentado por João Talone até 31 de Março, vai respeitar os interesses dos outros accionistas e do mercado, garantiu Carlos Tavares, ministro da Economia.

«Temos a preocupação de cumprir prazos e na posição sobre o sector energético esse compromisso vai ser cumprido», acrescentou o mesmo responsável, confirmando a próxima segunda-feira como a data prevista da entrega do relatório de João Talone para o Governo analisar e tomar opções estratégicas sobre o sector.

O Governo, antes de anunciar o modelo proposto, vai «se debruçar sobre ele no prazo de dias e não de meses», destacou a mesma fonte.

Esta visão sobre o sector será feita «com total respeito pelos outros accionistas e pelo mercado», assegurou o ministro da Economia.

Tavares destacou a importância deste «dossier» pelo facto de envolver empresas como a Electricidade de Portugal (EDP), cotada em Bolsa, a Galp Energia e a Rede Nacional Eléctrica (REN).

«A EDP representa 14% da capitalização bolsista do mercado português. Além disso, tem uma participação de 14,2% no capital da Galp Energia e um processo de privatização para continuar», lembrou Carlos Tavares.

O accionista Estado tem «ainda objectivos de privatização na Galp Energia, REN e na Transgás» e é accionista nestas empresas.

O Governo adianta que vai «propor as decisões consequentes (da nova estratégia no sector energético) nos lugares próprios», afirmou Tavares, criticando anteriores decisores que deram conhecimento ao mercado gerando «dúvidas e instabilidade».

O ministro da Economia sublinha que está confiante na concretização da oferta pública de venda (OPV) da Gescartão.

Outras Notícias