Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Moelis pode concentrar negociação com credores da Oi

A norte-americana Moelis pode vir a concentrar todas as negociações com detentores de dívida da Oi, segundo o Valor Económico. A Capricorn Capital avançou com uma acção contra a Oi para impedir que se junto da sua subsidiaria brasileira.

Bloomberg
Sara Ribeiro sararibeiro@negocios.pt 18 de Abril de 2016 às 15:44
  • Partilhar artigo
  • 1
  • ...

As negociações dos credores da Oi podem ser concentradas na norte-americana Moelis, segundo o site brasileiro Valor Económico. O objectivo passa por agilizar o processo.

A dívida líquida da Oi subiu 24,8% no final de 2015 para 38,1 mil milhões de reais (9,5 mil milhões de euros), e tem sido uma das principais dores de cabeça da operadora brasileira que tem a Pharol como maior accionista com 27,5% do capital.

De acordo com o mesmo site brasileiro, cerca de 70% dos títulos de dívida da Oi estão no mercado de capitais internacional e o restante no brasileiro.

Nas últimas semanas a Oi tem estudado opções para diminuir o seu forte endividamento, tendo contratado a PJT Partners para ajudar a encontrar alternativas.

Além disso, como foi noticiado, os accionistas portugueses estão em conversações com fundos norte-americanos, entre outros, para avaliar um possível reforço de capital na operadora na sequência do fim das negociações exclusivas com o fundo russo LetterOne depois de a TIM ter anunciado que não estava interessada em avançar com uma combinação de negócios com a Oi.

Oi enfrenta processo contra subsidiária holandesa

Recentemente, segundo a Bloomberg, a Oi foi também alvo de um processo interposto por um credor internacional o fundo Aurelius, para prevenir que a Oi utilize a sua subsidiária holandesa, a Brasil Holdings Cooperatief, para se financiar.

O Aurelius Fund, da Capricorn Capital, argumenta que a subsidiária holandesa já emprestou 2,8 mil milhões de euros à Oi e que a mesma não tem condições para pagar esse montante devido à actual situação financeira.

A maioria dessa quantia foi feita através da Portugal Telecom International Finance (PTIF), veiculo que a Oi herdou da dona do Meo. A Capricorn detém títulos da PTIF no valor 100 milhões de euros.

De acordo com o processo citado pela Bloomberg, a Oi alega que o objectivo da subsidiária holandesa sempre foi financiar outras áreas de negócio e assegura que, quer a Oi quer a PTIF, cumpriram as suas obrigações de pagamento.

Ver comentários
Saber mais Valor Económico LetterOne TIM Bloomberg Brasil Holdings Aurelius Fund Capricorn Capital Portugal Telecom International Finance PTIF Oi Pharol
Outras Notícias